A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 20 de Outubro de 2017

04/10/2011 12:54

Mostra cultural “do lixo ao luxo” em presídios revela arte de detentos

Paula Vitorino
peças são produzidas por detentas. (Foto: Divulgação)peças são produzidas por detentas. (Foto: Divulgação)

Materiais que seriam descartados foram transformados em arte na mostra cultural “do lixo ao luxo”, que está sendo realizada em 21 presídios do Estado. Nas mãos dos reeducandos, jornais, revistas, garrafas pet, pneus velhos e restos de linhas e madeiras – entre outros materiais – viram móveis, tapetes e peças decorativas e utilitárias.

Na Capital, a mostra será aberta no Instituto Penal de Campo Grande (IPCG) amanhã (5), com início às 9 horas. Na quinta-feira, a exposição acontece no Centro de Triagem (6) e na sexta no Estabelecimento Penal “Jair Ferreira de Carvalho" (EPJFC). No presídio feminino, será no dia 18.

As peças são produzidas durante as aulas e os trabalhos envolvem também pesquisas e discussões em grupo. Em cada estabelecimento prisional é apresentado o que foi produzido pelos seus custodiados.

Esta é a 8ª edição do projeto, que busca despertar nos internos que estudam a consciência ambiental e o desenvolvimento sustentável, incentivando o reaproveitamento do lixo.

Já no interior, as atividades tiveram início na semana passada, já tendo sido realizadas nas unidades de Rio Brilhante, Naviraí, Amambai, Bataguassu, Aquidauana, Dois Irmãos do Buriti, Paranaíba e Corumbá.

Nos presídios de Jateí e Jardim a mostra acontece amanhã e na penitenciária de Dourados, na quinta-feira. Nas unidades de Cassilândia, Ponta Porã e São Gabriel do Oeste será na sexta-feira.




Muito legal. O artesanato é uma terapia, uma ocupação muito produtiva tanto para a mente quanto para o bolso. E usar a reciclagem então é uma iniciativa que deve servir de exemplo Parabéns
 
Priscila Moraes em 04/10/2011 02:31:19
imagem transparente
Busca

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2017 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.