ACOMPANHE-NOS    
MARÇO, TERÇA  31    CAMPO GRANDE 33º

Artes

Museu apresenta exposição sobre companhia Matte Larangeira

Por Ângela Kempfer | 17/10/2011 14:59
Foto da Matte Larangeira de 1890.
Foto da Matte Larangeira de 1890.

O Museu da Imagem e do Som fala sobre is 34 anos de Mato Grosso do Sul com a história da Matte Larangeira (com "G" realmente), companhia responsável pela colonização da região sul oito décadas antes da criação do Estado.

A partir do dia 20 de outubro, O MIS apresenta a exposição “Memória Pública da Companhia Matte Larangeira”, com entrada franca até o dia 31 de dezembro.

São fotografias e documentos históricos, reunidos pela socióloga Fabiane Medina Cruz, com o apoio dos acadêmicos de Ciências Sociais Danilo Édio Sant'ana e Bruna Leal dos Santos.

O Museu fica no Memorial da Cultura, na avenida Fernando Correa da Costa, 559, no Centro de Campo Grande.

A companhia, fundada em 25 de julho de 1883 por Thomas Larangeira, depois da Guerra do Paraguai, trouxe do Rio Grande do Sul trabalhadores para o preparo da erva-mate e virou o símbolo do desenvolvimento econômico desta região do País.

Na história, há a relação polêmica de apropriação das terras indígenas guarani-kaiowá, mas é inegável a importância para o que veio a ser Mato Grosso do Sul.

A Matte foi instalada graças as primeiras concessões de terras para a exploração na fronteira.

A Companhia obteve a maior área arrendada, 5 milhões de hectares, tornando-se um dos maiores arrendamentos de terras em todo o Brasil para um grupo particular.

Milhares de trabalhadores foram contratatos, a maioria indios e paraguaios, miseráveis depois da derrota para o Brasil na guerra.