ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, SEGUNDA  17    CAMPO GRANDE 21º

Comportamento

Após 7 anos, Maria aprende andar e emociona ao levar aliança aos pais

Casamento na noite de quinta-feira (16) surpreendeu convidados e emocionou quem viu Maria andar até o altar

Por Thailla Torres | 17/05/2024 19:09
Maria Luiza entrando no casamento dos pais na noite desta quinta-feira (16). (Foto: William Matos)
Maria Luiza entrando no casamento dos pais na noite desta quinta-feira (16). (Foto: William Matos)

Maria Luiza viveu e aprendeu a andar para ser uma menina feliz e levar as alianças aos pais no casamento. O diagnóstico de paralisia cerebral nos primeiros dias de vida, 9 paradas respiratórias e 3 cardíacas fizeram os médicos darem um perspectiva de movimentos limitados à menininha. Mas ela superou tudo isso e chegou aos 7 anos, sentindo a alegria de andar no dia mais feliz da vida dos pais e emocionando os convidados ao redor.

O desejo de Jéssica Dias Bortolas e Marino Bortolas se realizou na noite desta quinta-feira (16), na simpática Paróquia Santo Agostinho de Hipona, no bairro Taveirópolis, em uma cerimônia católica tomada por um testemunho que surpreendeu até o padre. “Ele disse que, em 25 anos de celebração, esta foi a união mais emocionante que já viu”, conta a noiva.

Momento deixou a família emocionada, especialmente os noivos. (Foto: William Matos)
Momento deixou a família emocionada, especialmente os noivos. (Foto: William Matos)
Pais prometeram se casar só quando filha pudesse levar as alianças ao altar. (Foto: William Matos)
Pais prometeram se casar só quando filha pudesse levar as alianças ao altar. (Foto: William Matos)

A história do casamento começou com uma promessa de Jéssica e Marino, quando receberam o diagnóstico de paralisia cerebral de Maria Luiza. Naquela época, eles prometeram que só se casariam quando a filha pudesse andar e levar as alianças até o altar. A fé inabalável trouxe respostas há dois anos, quando Maria começou a dar os primeiros passinhos com uso de um andador.

Mas esse processo até a alegria de vê-la no altar não foi fácil. Maria nasceu prematura, aos 5 meses de gestação, e após paradas respiratórias e cardíacas enfrentou 45 dias de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Só depois tempo Jéssica e Marino a levaram para casa.

De lá pra cá, muita fé, amor e cuidado inundaram a vida da família para que Maria Luíza levasse uma vida normal. Embora tenha uma rotina diurna de fisioterapia, fono e terapia ocupacional para potencializar o desenvolvimento motor, Maria vai à escola, brinca, conversa sobre tudo e vive uma infância como qualquer outra criança, e com o sorriso radiante.

“A gente pediu para Deus que nossa filha ficasse viva, não importasse como, e faríamos de tudo para ela ser muito feliz. E assim tem sido. Há dois anos, ela andou pela primeira vez mesmo com dificuldades e foi avançando”, conta Jéssica.

Casal está junto há 9 anos. (Foto: William Matos)
Casal está junto há 9 anos. (Foto: William Matos)
Depois da cerimônia emocionante, Maria foi curtir a festa com os pais até o último minuto. (Foto: William Matos)
Depois da cerimônia emocionante, Maria foi curtir a festa com os pais até o último minuto. (Foto: William Matos)

Foi observando a melhora de Maria Luiza no andador que o casal sentiu no coração que estava na hora de oficializar a união. Quando contaram à filha que ela levaria as alianças, a menininha ficou radiante.

Antes da cerimônia religiosa feita ontem, o casal celebrou o casamento civil em dezembro de 2023, no dia do aniversário da filha. A escolha da data teve um motivo especial. “Foi tão difícil o dia do nascimento dela, que a gente decidiu ressignificar essa data e celebrar a vida, mostrar que dias melhores virão, que não se pode deixar a esperança de lado. Agora essa data ficou completa”.

O momento das alianças na noite desta quinta-feira foi com certeza o mais emocionante da cerimônia. Com o andador, Maria foi até os pais toda sorridente. Em alguns momentos ela também segurou o choro assim como os pais. “Nosso coração ficou tomado de emoção. Desde cedo ela disse que estava super ansiosa e uma pilha de nervos, e assim que entrou a gente não conteve a emoção”.

Momento foi mais que especial para todos os convidados. (Foto: William Matos)
Momento foi mais que especial para todos os convidados. (Foto: William Matos)

 Jéssica e o marido caíram no choro no altar, assim como boa parte dos convidados, que viajaram quilômetros para presenciar esse momento. Ela é de Goiás e ele de Mato Grosso, mas os dois vivem aqui há 3 anos desde que decidiram se mudar para dar melhor qualidade de vida à filha. “Foi tudo muito lindo, principalmente vê-la emocionada. Além disso, foi a segunda vez em 10 anos que vejo ele [noivo] chorar tanto”.

Depois do turbilhão de emoções na cerimônia, o casal seguiu para uma festa pra lá de animada. E quem mais um vez deu um show foi Maria, que dançou, curtiu, brincou e abraçou a alegria dos pais até o último minuto. “A festa acabou às 6h da manhã e ela foi embora com a gente. Foi lindo viver esse momento”.

Para a mãe, sem dúvidas, a entrada da filha para entrega das alianças foi uma resposta ao coração que nunca perdeu a esperança. “Foi um testemunho de vida para todos os nossos convidados e uma aula na vida sobre persistência. De forma inesquecível”, finaliza.

Confira a galeria de imagens:

  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
Maria radiante no casamento civil dos pais, realizado em 2023. (Foto: William Matos)
Maria radiante no casamento civil dos pais, realizado em 2023. (Foto: William Matos)

 Acompanhe o Lado B no Instagram @ladobcgoficial, Facebook e Twitter. Tem pauta para sugerir? Mande nas redes sociais ou no Direto das Ruas através do WhatsApp (67) 99669-9563 (chame aqui).

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para entrar na lista VIP do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias