ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, DOMINGO  24    CAMPO GRANDE 29º

Comportamento

Após levar faca na escola por bullying, Lucas se supera no hip hop

Com um desvio na coluna grave até os 17 anos, Lucas sofreu bullyibg, mas superou tudo com força de vontade e dom artístico

Por Lucas Mamédio | 27/11/2020 08:02
Lucas se formando no ensino fundamental e no médio (Foto: Arquivo Pessoal)
Lucas se formando no ensino fundamental e no médio (Foto: Arquivo Pessoal)
Eu nunca quis me limitar
Mas era o foda no espelho me olhar

Minha coluna desviada, era motivo de piada
Talvez por isso aquela vez na mochila levei uma faca
É eu estava cansado de uns babacas
Mas essa não era a solução exata

Esse é um verso da música “Lucas, Vulgo Tob”, um hip hop composto e interpretado por Lucas José Prazeres dos Santos, de 20 anos, ou apenas Lucas Tob. Morador de Terenos, ele tem usado a música para falar de suas angústias e de algo que sempre marcou sua vida: uma escoliose que o acompanhou em grande parte da juventude e ainda assombra sua vida de várias formas.

Nesta parte citada, Lucas fala sobre um momento delicado de sua vida, na adolescência, antes de passar pela cirurgia, quando chegou a levar uma faca para escola a fim de agredir colegas que tiravam sarro de sua condição.

Lucas antes e depois da cirurgia que corrigiu sua escoliose (Foto: Arquivo Pessoa)
Lucas antes e depois da cirurgia que corrigiu sua escoliose (Foto: Arquivo Pessoa)
Lucas se recuperando pós cirurgia (Foto: Arquivo Pessoal)
Lucas se recuperando pós cirurgia (Foto: Arquivo Pessoal)

“Tinha muita gente consciente na escola, mas também tinha algumas pessoas que eram maldosas e isso me irritava”, conta Lucas, que felizmente não usou a faca.

Estudante de Administração, Lucas nasceu em Batayporã e cresceu na zona rural junto dos pais, a doméstica Sandra dos Prazeres e do pecuarista Antônio José do Santos.

“Morei até os 17 anos em fazendas, quando eu tinha três anos descobriram a escoliose, uma doença que causa desvio da coluna vertebral, quando eu tinha seis anos fiz minha primeira cirurgia em Campo Grande , mas ela não foi bem sucedida, então deixei de ir no médico por alguns anos. Quando eu voltei, já estava desviada em um ângulo de 86 graus, e quando operei já estava em 108”.

Lucas durante gravação de uma música (Foto: Arquivo Pessoal)
Lucas durante gravação de uma música (Foto: Arquivo Pessoal)

A cirurgia corretiva só veio aos 17 anos de idade, no último ano do ensino médio, porém foi acompanhada de um novo drama. "Uma semana antes de fazer essa cirurgia, minha avó materna morreu, ela era uma pessoa muito importante na minha vida, assim como minha outra avó que também morreu quando eu tinha 14 anos. Mesmo com o luto familiar, eu encarei fazer aquela cirurgia de risco, e me marcou muito, pois era meu sonho fazer aquilo, eu não aguentava mais a maneira como eu era e a vida que eu tinha, e também tinha o preconceito das pessoas que era algo que marcou minha infância e adolescência”.

A cirurgia impulsionou Lucas para uma nova vida que fez aflorar um outro lado do jovem multifacetado: a música. Faz mais ou menos dois meses que ele criou um canal no YouTube, onde posta suas produções musicais.

“Falo da minha vida, das minhas experiências. Acho que é uma forma de me expressar e também levar uma palavra a quem me ouve”.

Lucas faz tudo de forma relativamente amadora, sem estrutura. Ele chama atenção para a falta de oportunidades, não só na música, mas na vida em geral.

“Eu estou tendo que me virar, empreender vendendo geladão na faculdade, porque se depender de emprego, como moro sozinho na cidade, estaria com problemas”.

Acompanhe co canal de Lucas Tob no YouTube e veja suas postagens no Instagram.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Foto capa de uma música de Lucas (Foto: Arquivo Pessoal)
Foto capa de uma música de Lucas (Foto: Arquivo Pessoal)
Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário