A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 20 de Setembro de 2018

20/01/2017 08:53

Depois de 42 anos na mesma casa, ladrões furtaram o maior xodó de dona Rosa

Memória da infância, levaram o radinho de dona Rosa, seu companheiro diário

Paula Maciulevicius
Dona Rosa e o radinho companheiro de manhãs de cozinha e tardes de lavar roupa pela casa. (Foto: Arquivo Pessoal)Dona Rosa e o radinho companheiro de manhãs de cozinha e tardes de lavar roupa pela casa. (Foto: Arquivo Pessoal)

A foto comove quem olha e sabe que este mesmo sorriso não está mais no rosto de dona Rosa. Depois de 42 anos morando na mesma casa, no bairro Guanandi, em Campo Grande, ladrões entraram pela primeira vez na residência e levaram o bem mais precioso da senhorinha, um radinho. O aparelho foi presente da filha e mais que um bem material, os botões remetiam a um passado que Rosa não gostaria que lhe fosse tirado.

"Eu fui no posto marcar consulta e quando cheguei, não estava nem o radinho e nem o espremedor de laranja", conta Rosa Lescano Borges Ferreira, de 73 anos. O furto aconteceu no início da tarde dessa quarta-feira (18). A dona da casa acredita que quem entrou só não levou mais coisa porque ela foi e voltou logo. "Foram 15 minutos, muito rápido", acrescenta. 

O presente não é relíquia, mas chega bem perto. Imitação do aparelho que Rosa tinha quando moça, a filha demorou meses para encontrar algo parecido na internet. "Fiquei tão triste que até subiu pressão, diabetes, tudo. Por que? Eu gostava muito dele, ficava lá ouvindo meus programas, minha novena", justifica.

O último lugar onde esteve foi o armário da cozinha, que de vez em quando revezava levando música para a lavanderia. Tudo dependia do ritmo de afazeres de dona Rosa. "Ninguém viu nada, acho que pularam o muro. Menina, eu tenho 42 anos na mesma casa", lamenta. 

O sentimento agora é de vazio e de silêncio. "Eu sinto falta do radinho, porque ele ficava ligado o dia inteiro me fazendo companhia nas rádios AM", desabafa.

A filha, Rose Borges Ferreira, de 35 anos, pediu ajuda dos amigos nas redes sociais. Qualquer informação é válida. "Ele era parecido com o que ela tinha quando do jovem. Ela olha para ele e se lembra do outro, esse que é o valor do rádio, o emocional", explica.

Quem tiver informações do paradeiro, pode ligar para o: 992170930. "Se ligarem eu vou pegar ele de volta, capaz das pessoas quererem cobrar e conforme for, eu pago, faço tudo", comove Rose. 

Curta o Lado B no Facebook.

 



imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.