ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEGUNDA  20    CAMPO GRANDE 23º

Comportamento

Jabour se foi, mas deixa marcas na 14 de Julho como “turco amigo”

Empresário era dono de várias lojas no centro de Campo Grande e faleceu no último dia 26 de julho

Por Bárbara Cavalcanti | 31/07/2021 08:30
O empresário Pedro Carom Jabour, de 82 anos, faleceu no último dia 26 de julho. (Foto: Arquivo Pessoal)
O empresário Pedro Carom Jabour, de 82 anos, faleceu no último dia 26 de julho. (Foto: Arquivo Pessoal)

Várias lojinhas ao longo da Rua 14 de Julho têm como proprietário do imóvel o empresário Pedro do Carmo Gibran, que no último dia 26 de julho, partiu devido à problemas de saúde.

Na memória da família, fica a lembrança de um marido, pai, avô e amigo querido. E pela cidade, um legado empresarial e uma origem ocidental vinda da Turquia e do Líbano.

Pedro, que tinha 82 anos, foi o quinto filho do casal turco Carmo e Abadia Gibran. Junto com o irmão Abdala, ele deu continuidade ao legado deixado pelo pai na cidade, no comércio da Capital.

A sugestão de investir na região central de Campo Grande veio de Pedro. De acordo com a família, juntos, os irmãos então investiram em vários imóveis nas áreas que acreditavam ser promissoras. O resultado foi a propriedade de diversas lojas, que hoje são alugadas para comerciantes ao longo da Rua 14 de Julho, no Centro da Capital.

Entre familiares e amigos, Pedro não é apenas lembrado pelo lado profissional, e sim, pela dedicação e carinho dados à família ao longo dos anos. Pelas fotos, é possível ver a felicidade e carinho estampados no rosto de todos durante as reuniões familiares. Um dos últimos registros e ele, inclusive, rodeado de todos os netos.

Pedro, ao centro, rodeado dos netos em reunião familiar. (Foto: Arquivo Pessoal)
Pedro, ao centro, rodeado dos netos em reunião familiar. (Foto: Arquivo Pessoal)
Pedro com as quatro filhas e esposa. (Foto: Arquivo Pessoal)
Pedro com as quatro filhas e esposa. (Foto: Arquivo Pessoal)

O pai de Pedro, o empresário turco Carmo Jabour, traçou a trajetória da família, quando fugiu da guerra na Turquia para o Líbano e depois atravessou o Oceano Atlântico para o Brasil. Desembarcou em São Paulo na década de 20, em busca de novas oportunidades.

Além do sucesso no comércio, a família também construiu em 1971 a primeira igreja católica ortodoxa em Campo Grande. As missas eram celebradas em aramaico e rezadas por um padre vindos da Síria. Na época, imigrantes se reuniam na paróquia todos os fins de semana para discutir assuntos também relacionados ao crescimento da cidade.

E é nessa paróquia que acontece a missa de 7º dia de Pedro, no domingo, da 1º de agosto às 9h. A Igreja Ortodoxa Siriana de São Jorge fica na Rua 14 de Julho, 1060, no Centro de Campo Grande.

Curta o Lado B no Facebook. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário