ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUINTA  22    CAMPO GRANDE 21º

Comportamento

Kauê comemora aposentadoria depois de cinco anos como "cão herói" dos Bombeiros

O golden retriever ganhou cerimônia de aposentaria depois de trabalho com crianças com deficiência nas escolas municipais

Por Thaís Pimenta | 28/01/2018 08:26
Foi com essa carinha de alegria que Kauê atendeu todas as crianças durante seu tempo como voluntário no projeto do Corpo de Bombeiros. (Foto: Marcos Ermínio)
Foi com essa carinha de alegria que Kauê atendeu todas as crianças durante seu tempo como voluntário no projeto do Corpo de Bombeiros. (Foto: Marcos Ermínio)

O golden retriever Kauê, segundo animal voluntário do Projeto Social Cão Herói, Cão Amigo do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul (CBM-MS), se aposentou ontem (27), aos 14 anos, depois de cinco anos de serviços ao lado de crianças com necessidades especiais em escolas municipais de Campo Grande, hospitais e creches.

Com seus mais de 15kg, Kauê é um animal extremamente dócil. Até ontem, ele dividia seu tempo entre o trabalho com o Corpo de Bombeiros e também era atendente da clínica veterinária Totó Company, onde mora. Agora dedica-se apenas a bem recepcionar os clientes, humanos e animais, que chegam no espaço. 

Nesses quatro anos de serviço, o carinhoso Kauê provou o quanto é importante o contato constante entre crianças e animais. Seu dono, o médico veterinário Antônio Abreu disse que todos os outros nove cães herois representam e seguem com o trabalho exercido pelo seu companheiro. "Vi o resgate de pessoas feito por eles, a alegria, o desenvolvimento cognitivo, intelectual e social de cada criança que lhe abraçou. Todos fazem um trabalho inestimável, tanto os cachorros quanto os bombeiros desse projeto", comenta.

Cerimônia de aposentadoria contou com a presença dos outros colegas de Kauê, teve entrega de menção honrosa e até café da manhã. (Foto: Marcos Ermínio)
Cerimônia de aposentadoria contou com a presença dos outros colegas de Kauê, teve entrega de menção honrosa e até café da manhã. (Foto: Marcos Ermínio)

A aposentadoria foi devidamente comemorada em uma cerimônia na clínica, com direito a presença de alguns dos "aumigos" de quatro patas. Antônio recebeu uma menção honrosa do CBM-MS, Kauê foi aplaudido por todos os presentes em uma festa que contou até com café da manhã. 

Na homenagem, o coordenador e criador do projeto, capitão Fábio, entregou uma placa em homenagem ao cachorro e disse que esse é "um momento de passagem". "O projeto está oficializado na instituição, é um trabalho muito sério, que nasceu a partir de um sonhou meu. Kauê é pai de Airon, meu cachorro, que foi com quem comecei os trabalhos de treinamento pra resgate. Mas logo no princípio eu notei que ele não tinha perfil pra isso e sim pra auxiliar com a terapia", explica Fábio.

Um fato recente emocionou Fábio. Kauê e o filho Airon estavam visitando um paciente em estado vegetativo no hospital São Julião. A emoção tomou conta do quarto em que estava a criança. "A mãe nos disse que ele raramente mexia apenas os olhos. Quando os cães chegaram, ele piscou e lacrimejou uma lágrima, foi muito especial".

Pra quem acha que o papo é brincadeira, a rotina de trabalho desses animais é puxada. Ao menos uma vez por semana eles visitam a escola Múcio Teixeira para dar assistência a crianças autistas ou com algum tipo de deficiência neurológica. O tratamento tem o objetivo de ajudar a aprimorar, de forma diferente e divertida, o desenvolvimento social dos pacientes.

"Os cães que participam do tratamento precisam ser dóceis e tranquilos. Ter a saúde perfeita, não se estressar fora de casa, em grupos, e principalmente manter a calma quando as crianças puxam o rabo, a orelha, porque é normal", comenta um dos responsáveis pelo projeto, o cabo Thiago.

Kauê recebeu muitos abraços e beijos de quem estava na cerimônia de sua aposentadoria. (Foto: Marcos Ermínio)
Kauê recebeu muitos abraços e beijos de quem estava na cerimônia de sua aposentadoria. (Foto: Marcos Ermínio)

O Cão Heroi, Cão Amigo agora firma uma parceria com a instituição do Cotolengo, que assiste a crianças com paralisia cerebral. "Esses nove cães devem visitar ao menos uma vez por semana o local, isso sem contar os eventos esporádicos", comenta Fábio.

Qualquer animal com o perfil dócil pode ser um voluntário do projeto, mas vale dizer as vagas para inscrição estão acabando. O animal é selecionado, recebe treinamento para comandos básicos pelo adestrador e bombeiro Luís, além de assistência médica. "É firmado um compromisso com o dono do animal e o CBM-MS. Hoje mesmo selecionei mais dois animais para substituição do nosso querido  Kauê", diz Luís.

Quem tiver interesse em inscrever seu bichinho é preciso mandar um WhatsApp para Luís pelo número (67) 992865510 ou visitar o Quartel no Parque dos Poderes de Campo Grande. 

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram.

 

Nos siga no Google Notícias