A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 20 de Setembro de 2018

02/06/2018 09:00

Mãe fez das primeiras palavras lidas e escritas pelo filho uma lembrança eterna

Thailla Torres
s primeiras letrinhas lidas e escritas pelo filho são traços que emocionam a mãe até hoje.s primeiras letrinhas lidas e escritas pelo filho são traços que emocionam a mãe até hoje.

O único momento em que a simetria não importa na tatuagem é quando o afeto fala mais alto. As primeiras letrinhas lidas e escritas pelo filho que ainda tinha 3 anos são traços que emocionam a mãe Glê Schmitt até hoje. Apaixonada, as palavras "tudo vivo" foram suficientes para virarem recordação de um tempo que vai fazer falta.

Glê não teve dúvidas, depois de alguns anos seguiu para o estúdio de tatuagem e marcou na pele a homenagem como uma obra de arte. "Ele era bem novinho quando leu pela primeira vez. Foi enorme a surpresa e depois disso tivemos o diagnóstico que ele tem algumas habilidades. Mas lembro que estávamos no carro quando ele perguntou o que significava tudo vivo".

João Pedro e Glê. (Foto: Arquivo Pessoal)João Pedro e Glê. (Foto: Arquivo Pessoal)

A mãe passou a explicar sobre sentido de cada palavra ao filho finalizando com o questionamento. "Mas onde você está vendo isso?"

João Pedro respondeu que tinha acabado de ler em uma placa na rua. "Olhamos e era um outdoor de uma empresa de telefonia que estava escrito: Vivo tudo. Mas ele leu ao contrário".

Naquele momento as palavras do filho não tinham como ficar em apenas um sorriso. "Eu fiquei emocionada, empolgada e foi uma festa". Quando o filho chegou em casa, fez questão de escrever como eram as palavras. "Eu mostrei a foto na internet e ele escreveu certinho". 

De um jeito sensível, a mãe guardou o primeiro papelzinho com as letras garrafais do menino. "Eu sabia que ia querer tatuar um dia. Mas sempre surgia um compromisso e a gente foi adiando".

Hoje, o menino está com seis anos e após se mudarem para Campo Grande, Glê perdeu o papel com a lembrança no meio do caminho. "Foi então que eu pedi para ele escrever novamente conforme ele quisesse e decidi tatuar".

A ideia foi eternizar uma sensação única, explica. "Ele foi o primeiro filho e ver ele conseguindo ler é emocionante. Tenho certeza que ainda vou ter a emoção com os outros filhos, mas cada um é uma sensação e conquista única".

Quando a mãe chegou em casa, a reação do filho não podia ter sido mais emocionante. "Ele ficou maravilhado, olhinhos brilharam e ele deu um sorriso gigante. Naquele momento senti uma gratidão vendo a reação dele".

Curta o Lado B no Facebook e Instagram.



imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.