A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 22 de Setembro de 2018

25/05/2018 08:23

Mesmo sem mover braços e pernas, Susy é artesã, faz maquiagem e até limpa a casa

Nada é obstáculo para a mulher de 33 anos com limitações muito bem resolvidas na cabeça e na vida

Thailla Torres
Susy é um exemplo de determinação e vontade. (Foto: Thailla Torres)Susy é um exemplo de determinação e vontade. (Foto: Thailla Torres)

Susycler Costa, de 33 anos, é uma mulher que supera desafios desde a infância, aprendeu a viver sem depender dos braços e dos pés. Nasceu com Artrogripose, malformação congenita das articulações e no dia a dia dentro de casa ela apenas se arrasta. Mas o que parece ser dificuldade para quem está fora da história de Susy, para ela é uma vitória. Foi assim que desenvolveu a habilidade de fazer tudo apenas com a boca.

Susy faz todas as suas atividades sozinha, inclusive, ajuda a mãe nas tarefas domésticas. "Apoio a vassoura no meu pescoço e vou me arrastando pela casa ajudando a limpar", explica. Mas o que tem surpreendido quem a vê pela primeira vez é a habilidade com o artesanato, como de produzir bijuterias e terços religiosos.

Susy nasceu com Artrogripose, malformação das articulações. (Foto: Thailla Torres)Susy nasceu com Artrogripose, malformação das articulações. (Foto: Thailla Torres)

Tudo é feito com a boca. Com a caixinha de miçangas em cima da cama ou sofá que usado como apoio, Susy coloca a linha dentro da miçanga. "Sem precisar de agulha", diz orgulhosa.

A inspiração veio da melhor amiga Marcília que lhe deu o primeiro terço de presente. Hoje a produção é de pelo menos cinco por dia. "As pessoas encomendam e eu faço. Mas quem me incentiva mesmo é a família e os amigos. Tem gente que não acredita que sou que faço".

Mas como exemplo de determinação e vontade, a artesã não desiste, faz o trabalho e quando dá na telha sai por aí mostrando o talento. A mãe até sugere que ela passeie de carro, mas Susy, na maioria das vezes, prefere sair de ônibus. "Gosto de sair pra ver o povo, converso com o motorista e todo mundo já me conhece. Muita gente olha torto e me acha estranha, mas eu não estou nem aí", diz.

Para ela a deficiência virou só um detalhe, leva a vida normal. "Tenho meus amigos, meu namorado que me dá todo apoio e a minha família".

Além do artesanato, ela surpreende pela habilidade com a maquiagem. Fazer um delineado exige mais esforço, mas nunca foi impossível. "Eu treino desde pequena. Primeiro coloco meus acessórios na cama, pego o pincel e passo na maquiagem. Depois viro e apoio ele no guarda roupa", demonstra no móvel que foi adaptado com um espelho para que Suzy veja se a make ficou do seu gosto.

Guarda-roupa é apoio para fazer maquiagem. (Foto: Thailla Torres)Guarda-roupa é apoio para fazer maquiagem. (Foto: Thailla Torres)

A mesma tática ela usa para fazer escova nos cabelos, apoia o secador de cabelo na cabeceira da cama e vai mexendo as madeixas na frente do vento. "É vaidosa que só. Todo dia está com esse sorriso e bem maquiada", se orgulha a mãe enfermeira Neia Costa, de 60 anos.

Desde o nascimento da filha, Neia não tem dúvidas que Susy veio ao mundo para ensinar. "Eu acredito que Deus prepara a gente para muita coisa nessa vida e quando tive a Susy, soube naquele momento, que a minha vida iria mudar pra sempre. E mudou".

Neia diz ser uma pessoa melhor depois de aprender o significado da palavra coragem. "Eu tive coragem para deixar a Susy fazer o que ela quiser. Porque apesar da deficiência, o próprio deficiente dá um jeitinho de fazer o que ele acredita ser melhor pra ele, então sempre falei pra ela ir em frente. Isso foi muito importante". 

A mãe hoje é encorajadora de muitas mulheres que enxergam em Susy um exemplo de superação. "É ter fé e não desistir da vida. A gente nunca desistiu, ela nunca ficou pra baixo por conta da deficiência e eu sempre briguei muito por ela. Nunca deixei as pessoas machucarem Suzy com o preconceito".

Juntas, mãe e filha superam todos os desafios. Nascidas no estado de São Paulo, hoje vivem em Campo Grande, no bairro Jardim Columbia. Enquanto Susy se dedica às pulseiras e aos terços, Neia faz um trabalho lindo com imagens sacras e lado a lado vão conquistando o bairro.

Quem tiver o interesse, cada terço de Suzy custa R$ 20,00 e é feito sob encomenda. O telefone para contato é o (67) 99107-1027 (WhatsApp).

Terços feitos por Suzy. (Foto: Arquivo Pessoal)Terços feitos por Suzy. (Foto: Arquivo Pessoal)
O incentivo para o artesanato veio da melhor amiga, Marcilia. O incentivo para o artesanato veio da melhor amiga, Marcilia.
Juntas, mãe e filha superam todos os desafios.Juntas, mãe e filha superam todos os desafios.


imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.