ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, SEGUNDA  27    CAMPO GRANDE 12º

Comportamento

"Nossa, que estressada": Cansaço materno "no olho" do outro é refresco

Mãe, quando o pavio encurtar por aí e vierem te apontar sua falta de paciência, não se culpe

Jéssica Benitez | 22/09/2022 07:49
Talvez para quem está de fora seja difícil enxergar o quanto 20 minutos a mais ninando um bebê pode ser tortuoso.
Talvez para quem está de fora seja difícil enxergar o quanto 20 minutos a mais ninando um bebê pode ser tortuoso.

Basta pequeno recorte do cotidiano estressante de mãe para começar o jogo do 'você perde a paciência muito fácil'. Para quem presencia 30 segundos de um momento de descontrole materno, por motivo considerado banal, é praxe construir distorcida imagem desta mulher.

É que sob as lentes do cansaço tudo fica ampliado e em câmera lenta. Não à toa os fins de semana voam, enquanto parece caber sete dias numa só segunda-feira. Todo momento de prazer, diversão, entretenimento ocorre mais rápido se comparado ao tempo gasto com obrigações.

Assim é na maternidade.

Talvez para quem está de fora seja difícil enxergar o quanto 20 minutos a mais ninando um bebê pode ser tortuoso. 'Ah mas são só 20 minutos!', não, não são.

É um acréscimo grande se observarmos da perspectiva de quem vai também niná-lo na próxima soneca, no sono noturno, nos despertares da madrugada, no dia seguinte e no outro e no outro... Não por um, três ou seis meses, mas por anos.

E na tentativa de mascarar o cansaço  - ou justificá-lo, que seja - podemos usar subterfúgios como 'pelo menos meu filho tem saúde', 'só mais uns anos e isso passa', 'no futuro sentirei saudade' mas a real é que quando o sol está a pino e o dia ainda tem muitas horas para acabar, não há desculpa bonitinha ou pensamento positivo que mantenha sã uma mente que não dormiu minimamente bem, que dirá um corpo que está há meses nesse ritmo.

Não somente o sono, mas a dependência de modo geral do bebê vai amenizando gradualmente, só que isso também é lento se comparado à velocidade em que o se instala o cansaço, então quando ele ocorre, qualquer melhoria parece irrisória perto do acúmulo de exaustão.

Portanto, sim, gente, nossos filhos podem muitas vezes soar como uma segunda-feira e não há problema em admitir, afinal eles são nossa obrigação diária e ininterrupta. O amor é combustível, porém é humanamente impossível estar 100% bem quando não existe mínimo descanso.

Sendo assim, quando o pavio encurtar por aí e vierem te apontar sua falta de paciência, não se culpe pois muito provavelmente a pessoa que te julga faria absolutamente igual se estivesse no seu lugar, o problema de verdade é que ela não se coloca.

Jéssica Benitez é jornalista, mãe do Caetano e da Maria Cecília e aspirante a escritora no @eeunemqueriasermae

Acompanhe o Lado B no Instagram @ladobcgoficial, Facebook e Twitter. Tem pauta para sugerir? Mande nas redes sociais ou no Direto das Ruas através do WhatsApp (67) 99669-9563 (chame aqui).

Nos siga no Google Notícias