A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 23 de Outubro de 2019

06/08/2019 07:45

Para pedir em casamento vale até inventar prisão por tráfico de drogas em MS

Estado com má fama da guerra entre narcotraficantes também virou tema de noivado

Danielle Valentim
Luan e Ana Carolina no último sábado (3). (Foto: Polícia Militar)Luan e Ana Carolina no último sábado (3). (Foto: Polícia Militar)

Enquanto uns fogem de casamento, outros buscam a qualquer custo surpreender na hora do pedido, mesmo que o tema da "brincadeira" algo bem sério na fronteira com o Paraguai. Depois de vídeos norte-americanos viralizarem com cenas semelhantes, Mato Grosso do Sul acaba de ganhar uma encenação de prisão por tráfico de drogas.

Ajoelhar que nada, a moda agora é pedir ajuda para a polícia. No sábado passado, um namoro de seis anos e sete meses virou noivado com o apoio da PM. Com autorização do Comando da Polícia Militar do Estado, a prisão de brincadeira aconteceu em Coxim, a 258 km de Campo Grande. A ideia surgiu há dois meses e, se você acha de mau gosto, saiba que poderia ser bem pior.

O auxiliar administrativo Luan Felipe dos Santos Fava, de 23 anos, contou ao Lado B que montou um grupo no WhatsApp e com ajuda de amigos iniciou o planejamento para pedir a mão da namorada Ana Carolina Longo Azevedo, de 21.

“Eu tinha pensado em um acidente, já tinha conseguido a ambulância, mas fiquei com medo dela se machucar. Depois pensei no cinema, mas a sala que tinha na cidade fechou. Nesse tempo de organização até fiquei desempregado. Dei uma pausa e só voltei a planejar depois que consegui um novo emprego. Há duas semanas, um amigo policial sugeriu a prisão de mentira, mas a PM em Campo Grande precisou autorizar e sábado aconteceu o pedido”, conta.

Ao Lado B, Luan admite que sabia que a ação poderia gerar elogios e críticas e que, por isso, tudo foi feito sob autorização. 

Conforme a assessoria de imprensa da corporação, o noivo foi até o 5º Batalhão de Polícia Militar solicitando ajuda para pedir a noiva em casamento. Depois da autorização, os militares colocaram o plano em prática. Para não fugir do protocolo e garantir uma abordagem semelhante à original houve até ensaio de militares da Força Tática.

Os policiais abordaram o casal por volta das 23h, do sábado (3), seguindo todos os protocolos para que a noiva não desconfiasse de nada. Luan e Ana Carolina foram revistados e o carro vistoriado.

Neste momento, os policiais encontram uma simulação de algo ilícito e, em meio à encenação, Luan recebe voz de prisão. Ana conta que ela e o namorado tinham acabado de comer um lanche e estavam passeando de carro pela cidade quando foram abordados.

“Em nenhum momento passou pela minha cabeça que a 'droga' seria do meu namorado, até porque o carro não era nosso, e o nosso amigo que emprestou o carro falou que era para andarmos bastante porque ele mandou arrumar e tinha que andar. Como ele tem filhos não tinha como ele ir, então achei que poderia ser de alguém que ele comprou. Mas lógico que fiquei muito assustada. Foi tudo muito real”, conta.

Algemado, o rapaz foi levado ao camburão, mas retornou com um buquê e as alianças. Toda a ação foi assistida pela família que já sabia de tudo que iria acontecer. “Quando ele apareceu com o buquê fiquei mais tranquila, mas fiquei impressionada com o tamanho da imaginação dele e dos amigos. E lógico aceitei na hora”, conta Ana.

A cena foi aplaudida por familiares, amigos e pessoas que estavam presentes num bar movimentado da cidade. O casal já planeja o casamento, que deve acontecer em setembro de 2020.

Curta o Lado B no Facebook e Instagram.

Confira o vídeo:

imagem transparente

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.