A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 30 de Março de 2017

07/01/2017 07:20

Primeiro fotógrafo de Miranda, encontrou negativos e hoje batalha na recuperação

Thailla Torres
Seu Antônio aposentou a fotografia, mas se dedica aos eletrônicos e na recuperação de antigos retratos. (Foto: Luciano Justiniano)Seu Antônio aposentou a fotografia, mas se dedica aos eletrônicos e na recuperação de antigos retratos. (Foto: Luciano Justiniano)

De todas as coisas que já fez, fotografia é a maior paixão do seu Antônio Mathias, que aos 68 anos vive em Miranda, recuperando fotos antigas, há pouco tempo encontradas dentro de casa.

Ele vive na cidade desde 1954, lugar que abraçou de coração quando saiu de São Paulo na companhia dos pais, que em Mato Grosso do Sul recomeçaram a vida trabalhando em fazendas. Em 1962, Antônio começou a carreira de fotógrafo pela primeira vez na região e também como rádio técnico.

Com o passar do tempo e a rotina de trabalho na eletroeletrônica em que é dono, a fotografia foi ficando de lado. "É uma história longa, não fotografo mais, faz tempo que eu parei", menciona.

Uma das fotos recuperadas, Antônio posou com a família. Uma das fotos recuperadas, Antônio posou com a família.

Sem falar muito do assunto, relembra a separação e o recomeço na vida profissional. "Eu separei e tive um prejuízo danado, recomecei a vida. E aí, dando uma revisão e fuçando as minhas coisas, achei vários negativos em um depósito. Nem sabia que tinha tanta coisa guardada”, diz.

Hoje, ele desfruta da descoberta em saber o que há em cada negativo. Está no começo, ele tem muito trabalho pela frente e, provavelmente, algumas histórias esquecidas no tempo. “São na maioria pessoas. Famílias, gente desconhecida, naquela época nem tinha fotógrafo em Miranda. Tem também alguns locais na cidade. Ainda falta muita coisa para restaurar”, conta.

Como tudo era preto e branco, para conseguir recuperar os negativos, Antônio diz que fez uma verdadeira engenhoca para ver as fotos novamente. “Preparei com ajuda de um programa de computador. Na época tudo era revelado em laboratório, hoje tenho uma impressora antiga da década de 1950, de quando eu estava aprendendo a copiar as fotos. Acabei ficando com ela, fiz uma adaptação, para conseguir copiar com uma câmera e conseguir fazer a inversão dela para o computador”, explica.

Fotografia recuperada do casamento.Fotografia recuperada do casamento.

Por telefone, Antônio se preocupa com o tempo, diz que o cenário é de muito trabalho pela frente. “Já estou há 60 dias tentando recuperar e também tenho muito conserto de eletrônicos para fazer”, diz.

O gosto pela fotografia veio ainda menino, quando aprendeu sozinho a mexer com equipamentos. Quando se mudou para Mato Grosso do Sul, foi com a família viver na Fazenda São Cristovão. Lá trabalhava na produção artesanal de pinga e vinha até a área urbana a cavalo.

“Era difícil a condição na época, lembro que usava balsa para chegar em Miranda. Depois cavalo para ir da fazenda até a cidade. O estudo foi difícil, foi meu pai que me ensinou a fabricar pinga. Mas naquela época não tinha rádio na fazenda, eu era um uma pessoa muito curiosa e comecei a aprender eletrônica. Tudo era feito por correspondência”, lembra.

Era preciso paciência para se dedicar aos eletrônicos e à fotografia. Mas em Antônio não faltava disposição. “Era uma rota no começo da minha história. Aprendi tudo sozinho, por correspondência. Comprava revistas e informativos sobre fotografia. Demorava 60 dias para chegar em Miranda. Tive que ir aprendendo na raça”, conta.

E levou tempo até não deixar de ter prejuízo. “Estudava os kits de fotografia, mas quando revelava saia tudo preto. Fui tentando e aos poucos me aperfeiçoando. Fazia fotografia 3x4 na cidade. Fotograva muito as pessoas e um pouco da cidade”, diz.

Sem muitas fotografias recuperadas, Antônio diz estar ansioso em voltar no tempo. “Eu nem imaginava, estava até abandonado, mas na época a gente não imaginava que ia dar história. Foto faz a gente reviver, porque todo mundo tem uma história e achei que tivesse perdido tudo. Mas agora vou recuperar”.

Abaixo, algumas das fotografias de Antônio, com retratos de emoções e momentos da infância dos filhos. 

Curta o Lado B no Facebook.

 

Alegria da infância. (Foto: Antônio Mathias)Alegria da infância. (Foto: Antônio Mathias)
As crianças pareciam gostar da fotos. (Foto: Antônio Mathias)As crianças pareciam gostar da fotos. (Foto: Antônio Mathias)
Antônio registrava momentos de alegria. (Foto: Antônio Mathias)Antônio registrava momentos de alegria. (Foto: Antônio Mathias)
Brincando no rio. (Foto: Antônio Mathias)Brincando no rio. (Foto: Antônio Mathias)
Concurso na infância. (Foto: Antônio Mathias)Concurso na infância. (Foto: Antônio Mathias)



imagem transparente
Busca

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2017 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.