A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 25 de Setembro de 2018

30/01/2018 08:12

Arquiteto planeja conhecer o roteiro dos sonhos e passa 14 dias no Egito

Para Jefferson Pasa, o momento mais inesquecível da viagem foi entrar na pirâmide de Queóps

Thaís Pimenta
Jefferson na belíssima Mesquita de Muhammad Ali, em Cairo, no Egito. (Foto: Acervo Pessoal)Jefferson na belíssima Mesquita de Muhammad Ali, em Cairo, no Egito. (Foto: Acervo Pessoal)

O arquiteto e músico da banda Whisky de Segunda, Jefferson Pasa, no auge de seus 34 anos, realizou um dos sonhos da vida, conhecer o Egito. Um destino improvável para muitos, instigante para ele desde a infância. "Estudo os egípicios há muito tempo, digo que o tempo de preparação pra vir pra cá foi da vida toda. Mesmo tendo estudado muito sobre a cultura, fiquei de boca aberta quando cheguei aqui", conta.

E até que os planos não sairam tão caros. Em 14 dias de aventuras, foram gastos R$ 9 mil. "Isso inclui tudo, desde as passagens até o cruzeiro e os quatro vôos internos", detalha.

Jefferson seguiu junto com uma amiga, também da música, Ana Gabriella, que é tecladista dos Beatles Maníacos. A primeira parada dos dois foi Dubai. "Escolhemos uma passagem que fizesse conexão em Dubai. Conseguimos passar um dia lá para conhecer e fomos em 60% dos atrativos", explica.

De lá, foram Cairo. Chegar no Egito foi como estar em casa, ao menos para Jefferson. "Sempre achei que seria assim. É como se eu tivesse vivido aqui por muitas vidas". Para ele, cada templo era uma oportunidade de sentir uma energia totalmente diferente de tudo que já viveu, isso sem contar as pirâmides.

O momento mais emocionante desses 14 dias fora foi quando Pasa entrou na grande pirâmide de Quéops. "Ouso dizer que foi o momento mais importante da minha vida. Muitos estudos já constataram que essa construção tem energia forte". Quando questionado sobre qual a sensação de estar lá dentro, ele tentar resumir: "é como se ficasse mais denso e você mais leve, é dificil descrever".

Jefferson na pirâmide de Queóps. (Foto: Acervo Pessoal)Jefferson na pirâmide de Queóps. (Foto: Acervo Pessoal)

Depois, o casal passou por Luxor, Aswan, Sharm El Sheik, Kom Ombo, Alexandria, Abul Simbel, Edfu, Saint Catherine, tudo isso no Egito, incluindo o cruzeiro pelo rio Nilo que ligou Luxor até Aswan. Pra completar, eles também passaram pela cidade de Petra, na Jordânia.

"Me surpreendi com as pessoas daqui, com os costumes que agora são dos mulçumanos. São peessoas do bem, muito diferente do que a mídia mostra", comenta.

Jefferson teve o privilégio de escalar o Monte Sinai  e, lá do alto, foi visitado por uma companhia inusitada. Dizem que o monte foi o local onde Moisés supostamente escreveu os mandamentos, então a sensação de estar ali é única. "Não sou muito ligado a essa religião mas garanto que lá é um lugar muito lindo e de muita paz, se ele realmente escreveu os mandamentos tenho certeza que foi lá".

Como recompensa ao esforço de escalar os 2.285 metros, um cachorro estava lá, também admirando a paisagem. "Nosso guia disse que ele já apareceu algumas vezes por lá mas que nunca tinha visto ele encantado daquela forma, foi a surpresa da viagem".

O cachorro que estava no topo do Monte Sinai admirando a incrível vista (Foto: Acervo Pessoal)O cachorro que estava no topo do Monte Sinai admirando a incrível vista (Foto: Acervo Pessoal)

Como não podia deixar de ser, o arquiteto admirou cada detalhe das construções milenares. "Todas são de pedra, a maioria do tipo granito ou similar. Não dá pra saber como fizeram isso, a tecnologia que temos hoje talvez conseguiria, mas não é  certeza". 

De acordo com ele, elas se mantem conservadas. "Aqui não chove. A maior parte do que foi destruído foi culpa dos romanos, pouca coisa foi vandalizada pela nova civilização", explica.

Os dois se hospedaram em hoteis com melhor custo-benefício. A pesquisa desses destalhes aconteceu por meio da internet. "Aqui no Egito atualmente as coisas estão com o preço muito bom. Depois da revolução de 2012 o país entrou em crise e agora está  se recuperando", finaliza. 

Jefferson provou que o esforço pra colocar um sonho em prática vale a pena. "Vivenciar aquilo que te encanta é inexplicável. Não tem livro no mundo que possa explicar o que é estar aqui". Os dois estão em conexão para voltar a rotina em Campo Grande.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram.




imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.