ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEGUNDA  26    CAMPO GRANDE 24º

Diversão

Com misto de doces, até São Cosme e Damião vai ter máscara no terreiro

Celebração católica pode até ter sido ontem, mas entrega drive-thru de docinhos ficou a cargo dos umbandistas neste domingo santo

Por Raul Delvizio | 27/09/2020 07:00
São Cosme e São Damião, irmãos gêmos santos mais conhecidos por serem os orixás, isto é, as entidades Ibejis para as religiões de matriz africana (Foto: Kísie Ainoã)
São Cosme e São Damião, irmãos gêmos santos mais conhecidos por serem os orixás, isto é, as entidades Ibejis para as religiões de matriz africana (Foto: Kísie Ainoã)

Hoje é dia dos santos Cosme e Damião. Não para a Igreja Católica, mas para os terreiros de matriz africana. Aqui na Capital, a entrega dos docinhos pode ser encontrada na Tenda de Umbanda “Fé Amor e Caridade”. A inspiração de lá é a alegria das crianças, que são consideradas espíritos de pureza pela religião. E o que falar das guloseimas? Desperta a cura mística por meio do açucarado. Paz no coração, glicose no sangue, e muito sorriso gostoso por trás da máscara.

Justamente por causa da pandemia, a entrega das oferendas teve que ser no esquema drive-thru.

O que já foi muita festança, neste ano será apenas uma celebração. Mas nunca que deixaríamos de comemorar, dividir felicidade com as pessoas. A comunidade doou muitos doces, e tudo já foi benzido e sortido nos saquinhos coloridos”, diz a mãe de santo Carla, conhecida também como a ialorixá Bori de Calé.

Umbandistas preparam as bacias com os doces (Foto: Kísie Ainoã)
Umbandistas preparam as bacias com os doces (Foto: Kísie Ainoã)
Além de balas e doces caseiros, teve pirulito também (Foto: Kísie Ainoã)
Além de balas e doces caseiros, teve pirulito também (Foto: Kísie Ainoã)
Por conta da covid, entrega das oferendas açucaradas será no esquema de drive-thru (Foto: Kísie Ainoã)
Por conta da covid, entrega das oferendas açucaradas será no esquema de drive-thru (Foto: Kísie Ainoã)

“Os erês, como chamamos, são essas entidades infantis. Eles se manifestam nas brincadeiras, trazendo essa energia pura, mais natural. Por exemplo, eu incorporo a Julinha, e ela é louca por glacê de bolo. Vai debaixo da mesa, arrasta o dedo em cima da sobremesa, põe logo na boca. É o modo dela demonstrar o bem”, elucida mãe Carla.

E por que celebrar São Cosme e São Damião? São muitas as histórias sobre os irmãos gêmeos nascidos na cidade grega de Egeia, 260 anos depois de Cristo. A tradição que a ialorixá campo-grandense costuma contar é que, ainda crianças, os dois meninos possuíam dons divinos de cura e benção vindo dos pais, o casal de orixás Xangô e Iansã – deuses da justiça e da direção, respectivamente.

Tanto umbanda quanto para o candomblé, os irmãos também são considerados orixás, intitulados de Ibejis. A oferta dos doces é para agradá-los, mas também aquecer o coração – uma forma de adoçar a vida – de bênção e carinho para muitos outros, sejam lá pequenos ou adultos. E por mais que neste ano não vai ter criança correndo de um lado pro outro, as oferendas açucaradas estão mais que garantidas.

Muita colaboração envolveu a tarde de ontem (26) para o Cosme e Damião deste domingo (Foto: Kísie Ainoã)
Muita colaboração envolveu a tarde de ontem (26) para o Cosme e Damião deste domingo (Foto: Kísie Ainoã)
Cada oferendas foi dividida em saquinhos coloridos (Foto: Kísie Ainoã)
Cada oferendas foi dividida em saquinhos coloridos (Foto: Kísie Ainoã)
De turbante azul, a mãe de santo Carla demonstra fé e bastante afeto durante conversa com o Lado B (Foto: Kísie Ainoã)
De turbante azul, a mãe de santo Carla demonstra fé e bastante afeto durante conversa com o Lado B (Foto: Kísie Ainoã)

No dia de hoje, vai ter balas, pirulitos, pipoquinha doce, suspiro seco, goma cristalizada, refrigerante caçulinha, bananada, maria mole, pedaço de bolo… e a lista continua. O atendimento vai das 15h às 17h na frente do terreiro, com interdição de meia pista autorizada pela Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito).

E o que a vizinhança acha disso? “Parece que o bairro emana uma energia espiritual diferente. Temos centros, igreja católica, grupos evangélicos, tudo perto um do outro, sem o menor problema. Inclusive, nosso terreiro teve foi abençoada com missa cristã do padre Jair antes de iniciarmos os trabalhos, isso lá no ano de 1978. Por aqui, fé e respeito são uma coisa só”, esclarece.

Dia de Cosme e Damião do ano passado teve muito mais calor humano (Foto: Arquivo Pessoal)
Dia de Cosme e Damião do ano passado teve muito mais calor humano (Foto: Arquivo Pessoal)

Pai Mundinho – Ainda não completou nem um mês da morte do babalorixá Marcílio Cordeiro de Barros, fundador da Tenda de Umbanda “Fé Amor e Caridade”, mas a verdade é que ele “nunca saiu” de lá. Festeiro assumido, a simples celebração de Cosme e Damião sempre terminava em festança.

“O lugar dele na casa é insubstituível, por isso jamais iremos parar com a tradição que era a cara dele. Faz bem pra nós, pro Pai Mundinho, pro ser humano”, reflete mãe Carla.

Pai Marcílio dá benção na figura que simboliza Preto Velho, uma das várias linhagens de entidades na umbanda brasileira (Foto: Reprodução/Facebook)
Pai Marcílio dá benção na figura que simboliza Preto Velho, uma das várias linhagens de entidades na umbanda brasileira (Foto: Reprodução/Facebook)

Receba o seu – As entregas dos doces acontecerão na tarde de hoje, pelo endereço na rua dos Tupinambás, 163, no bairro Santo Antonio. É só chegar de carro que você já vai poder avistar a organização na quadra. Todos estarão usando máscara e luvas para dividir de modo seguro a benção das oferendas.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Mãe Carla se emociona ao falar do esposo Marcílio, companheiro do terreiro e seu parceiro de vida (Foto: Kísie Ainoã)
Mãe Carla se emociona ao falar do esposo Marcílio, companheiro do terreiro e seu parceiro de vida (Foto: Kísie Ainoã)
"Era bem ali naquele banco que eu deixava minhas filhas enquanto fazia os trabalhos junto à Mundinho" (Foto: Kísie Ainoã)
"Era bem ali naquele banco que eu deixava minhas filhas enquanto fazia os trabalhos junto à Mundinho" (Foto: Kísie Ainoã)
Nos siga no Google Notícias
Confira a Galeria de Imagens:
Regras de comentário