ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, DOMINGO  20    CAMPO GRANDE 13º

Diversão

Dança contemporânea ganha audiodescrição e contempla cegos

Começa hoje mostra que que exibe videodanças com audiodescrição para tornar a dança contemporânea acessível

Por Thailla Torres | 11/05/2021 08:29
Apresentação de uma das videodanças realizadas em abril.
Apresentação de uma das videodanças realizadas em abril.

Começa hoje e segue até o dia 13 de maio, sempre às 19 horas, a "Mostra CTA - Corpos Transeuntes em Ação",  que exibe videodanças com audiodescrição para tornar a dança contemporânea mais acessível e possibilitar que pessoas com deficiência, por exemplo, tenham acesso a dança por meio de outras linguagens.

As apresentações são gratuitas e reúnem trabalhos de artistas de vários estados brasileiros e da Colômbia. São videodanças que foram criadas na oficina online de videodança que aconteceu entre março e abril deste ano. A iniciativa faz parte do programa "Plataforme-se" que reúne experiências e desejos na produção de videodanças. Um lugar para construir relações entre a dança e o vídeo.

O conteúdo sobre audiodescrição foi abordado pela audiodescritora Maria Cândida Abes e por Léia Ferreira, que é consultora em audiodescrição e tem deficiência visual. Segundo Maria Cândida, participar do projeto foi um desafio, um desafio que vinha de encontro com seu propósito íntimo de poder sempre trabalhar com acessibilidade em conteúdos audiovisuais, a audiodescrição para ela é um benefício da mais alta importância para a inclusão das pessoas com deficiência visual.

“A audiodescrição beneficia outros públicos também, ampliando a compreensão e o entendimento. A troca de experiências durante o projeto foi incrível, compartilhamos experiências, sentimentos e vivenciamos na prática. Na oficina de audiodescrição falamos de inclusão, de autonomia e independência, construímos juntos. Sentimento de gratidão pela oportunidade, de alegria e de saber que precisamos fazer acontecer, permitindo que todas as pessoas possam verdadeiramente acessar e usufruir de todo conhecimento e poder transformador presente na arte, na cultura”, diz.

Para Léia trabalhar com este projeto está sendo muito importante enquanto pessoa com deficiência visual: “Pois sei o quanto é difícil ainda ter acessibilidade nos diferentes produtos e eu poder contribuir para que ela aconteça é bem gratificante. Fico muito grata por ter conhecido pessoas tão sensíveis e especiais neste projeto”.

O curso teve a mediação dos idealizadores Jackeline Mourão e Ralfer Campagna. Também contou com dois artistas da dança convidados: Franciella Cavalheri (MS) e Marcelo Sena (PE).

As videodanças serão exibidas de terça (11) a quinta-feira (13), às 19 horas, pelo Youtube. (clique aqui e confira).

Curta o Lado B no Facebook. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário