ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SEXTA  18    CAMPO GRANDE 17º

Diversão

Galera “jura” que não vai sair de casa nem com agenda de shows liberada

Em enquete realizada neste sábado, leitores afirmaram que ainda não é hora certa para ir a shows

Por Thailla Torres | 16/05/2021 08:10
Show de Maiara e Maraisa realizado em Campo Grande antes da pandemia. (Foto: Arquivo Campo Grande News)
Show de Maiara e Maraisa realizado em Campo Grande antes da pandemia. (Foto: Arquivo Campo Grande News)

Maioria dos leitores admite insegurança em ir a shows agora que novo decreto estadual permite a realização deste tipo de evento com 50% do público. Além das 84% dizendo que não se sente seguro, nos comentários do Campo Grande News são dezenas de pessoas dizendo que isso é motivo de preocupação.

Nas ruas, o leitor Lucas Vinicius Capile Chaves, que trabalha na área da gastronomia, afirma que nem em seu trabalho se sente seguro. “A vacinação ainda não ocorreu para todos, acho perigoso ir a um evento grande como shows. Eu não me sinto seguro e acho que não estamos preparados”.

Já para Eliane Rita Rodrigues, o retorno é tranquilo. “Se todo mundo respeitar todas as regulamentações eu vou. Não me sinto insegura”, diz.

Nas redes sociais o decreto divide opiniões. Um dos leitores defende a categoria de eventos. “Desde que começou a pandemia os eventos estão proibidos. Será que essa é a solução para conter o vírus?”, questiona. “Deveriam ter empatia pelas pessoas que vivem disso”, acrescentou.

Para outra leitora, a volta dos eventos com capacidade maior pode resultar em aumento de mortes. “Desse jeito a pandemia vai durar muito tempo, matando famílias de todos os lados”, afirma.

Sônia Medeiros também acrescenta: “não me sinto segura nem para ir almoçar fora imagina em shows”.

O outro lado – Para os produtores, apesar da chance imposta pelo decreto, a incerteza ainda reina e, por isso, a agenda de eventos não será liberada.

“A gente tem uma projeção para julho e agosto para realizar eventos de acordo com o decreto, mas a gente espera que cheguem mais vacinas. Infelizmente estamos em um setor que sofreu e vem sofrendo muito sem funcionamento”, explica Ângelo Gonçalves, produtor.

Já Walter Junior, também produtor de eventos na cidade, diz que não haverá agendas por enquanto por conta da instabilidade. “Vamos aguardar mais um pouco, a nossa situação ainda é crítica. Quando fecham comércio 15 dias já gera impacto gigantes, agora imagina para a minha empresa que está proibida de trabalhar há mais de um ano”.

Dados - Mato Grosso do Sul registrou neste sábado (15) mais 31 pessoas que perderam a luta para a covid-19. Mesmo assim, a semana termina com mortes em queda no Estado. São 362 óbitos em 15 dias de maio, pouco mais de 1/4 do que foi a tragédia registrada em abril, com 1.385 falecimentos.

Já em relação ao contaminados, seguimos em patamar elevado, no mesmo ritmo do mês anterior. Com 1.394 infectados nas últimas 24 horas,  o Estado soma 15.760 testes positivos em maio, quase metade dos 32.587 de abril.

Curta o Lado B no Facebook. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário