ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, DOMINGO  25    CAMPO GRANDE 26º

Diversão

Mantendo a tradição, foliões comemoram Carnaval com guerra de água na fronteira

Brincadeira de mais de 40 anos une brasileiros e paraguaios em divertida batalha molhada

Por Jhefferson Gamarra | 11/02/2024 20:43


Neste domingo (11), a cidade de Ponta Porã, localizada na fronteira entre o Brasil e o Paraguai, a 313 quilômetros de Campo Grande, foi palco de uma das brincadeiras mais diferentes em uma celebração de Carnaval: a tradicional guerra de bexiga d'água. A batalha que une foliões de ambos os lados da fronteira, acontece há mais de quatro décadas, proporcionando momentos de diversão e descontração. (Veja vídeo acima)

Por volta das 13h, os grupos se reuniram na Avenida Brasil, cada um preparado para a guerra que estava por começar. Alguns participantes optaram por permanecer em posições estratégicas, enquanto outros preferiram a movimentação pela área demarcada, munidos de equipamentos como capacetes com viseiras, luvas e casacos para se protegerem dos impactos dos balões d'água lançados pelos "pelotões de fuzilamento".

A batalha teve início quando os grupos móveis, a bordo de veículos, começaram a arremessar água contra os grupos fixos posicionados em pontos específicos da Avenida Brasil. A prefeitura de Ponta Porã estabeleceu regras claras para a realização da Guerra D'água, delimitando que a brincadeira deve ocorrer exclusivamente na Avenida Brasil, no trecho entre as Ruas Guia Lopes e Tiradentes. Fora desse espaço, a prática está proibida.

Para garantir a segurança e o controle do evento, a Guarda Civil Municipal e a Polícia Militar estiveram presentes, monitorando a celebração à distância e agindo prontamente para evitar ocorrências indesejadas. A prefeitura enfatizou que aqueles que causarem danos a terceiros, como quebrar vidros de carros, danificar retrovisores, amassar a lataria ou provocar danos em residências, serão responsáveis por reparar os prejuízos e poderão ser denunciados aos órgãos policiais competentes.

Nos siga no Google Notícias