A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 20 de Fevereiro de 2018

31/01/2018 09:31

Orlando, paraíso dos parques, onde os sonhos se realizam

Paulo Souza, do site Lugares Por Onde Ando
Orlando, paraíso dos parques, onde os sonhos se realizam

Orlando é mesmo o paraíso dos parques. Abriga pelo menos sete dos 20 maiores parques temáticos do mundo, e um deles, o mais conhecido dos brasileiros, a Disney World, que desde cedo aprendemos a chamar simplesmente de Disney, na verdade é um megacomplexo de lazer com sete parques.

Não sei se para o mundo inteiro, mas pelo menos para os brasileiros Disney World é uma espécie de sinônimo de parque. Se a conversa é sobre os grandes parques temáticos do mundo, inevitavelmente qualquer brasileiro logo se lembrará de Disney World, o lar de Mickey, Minnie, Pluto e Pato Donald.

O que muitos imaginam ser um parque, Disney World envolve quatro parques temáticos, o Magic Kingdom, Animal Kingdom, Hollywood Studios e Epcot Center, dois parques aquáticos, o Blizzard Beach e Typhoon Lagoon, e um centro de compras, o Downtown Disney, além de cinco campos de golfe e 34 hotéis.

Pluto, Donald, Mickey, Minnie e Pluto, a turma toda do mundo encantado de Walt Disney, sempre uma grande festaPluto, Donald, Mickey, Minnie e Pluto, a turma toda do mundo encantado de Walt Disney, sempre uma grande festa

Mas o mundo dos parques em Orlando não se resume a Disney World. Por exemplo, se você já não é mais criança nem tem criança, está sozinho na cidade ou com outros adultos, e gosta da programação e do astral dos parques, então a opção pode ser o Universal Orlando Flórida. Lá você tem três parques: The Wizarding World, Universal Studios e Islands of Adventure. Isso sem falar que ainda tem o Sea World Parks & Enterteinment, localizado em Tampa, distante apenas 137 km de Orlando.

No Islands of Adventure, por exemplo, o cenário de brinquedos mais radicais é próprio para adolescentes e adultos. No Universal Studios, dotado de uma espetacular infraestrutura de lojas de suvernies, restaurantes e lanchonetes, o foco são os filmes e seriados de TV, quase todos conhecidos dos brasileiros, facilmente identificados mesmo que você nunca tenha visto nenhum deles.

Novidade na primavera – Este ano, em plena primavera, que irá de março a junho, a novidade no Universal será o Fast & Furious: Supercharged, uma atração baseada nos filmes “Velozes e Furiosos”. O texto de divulgação distribuído pelo Universal Studios Orlando diz: “Prepare-se para viver uma história original Fast & Furious que vai além dos filmes e colocará você cara a cara com os seus personagens Fast favoritos”.

“Velozes e Furiosos” ou “Fast & Furious”, se preferir, é uma das franquias de filme de maior bilheteria da história. Com enredos recheados de ação e carros de alta velocidade, conquistou o interesse de milhões de pessoas em todo o mundo, e no Brasil não foi diferente. Na atração do Universal Orlando – https://blog.universalorlando.com/ – estará o “Fast & Furious: Supercharged”.

Se o que você mais gostou nos filmes são os carros de alta velocidade, então estará no lugar certo. No roteiro, são 15 carros autênticos de “Velozes e Furiosos”, 12 diretamente dos filmes e três criados exclusivamente para a atração, incluindo o icônico Dodge Charger do personagem de Vin Diesel, mais a chamada “Família Velozes” com todos os personagens.

“Fast & Furious” em clima de cinema, a novidade para a primavera americana no Universal Orlando“Fast & Furious” em clima de cinema, a novidade para a primavera americana no Universal Orlando

De acordo com o Universal Orlando, pela primeira vez Taj (Chris “Ludacris” Bridges) e Mia (Jordana Brester) estarão com as estrelas consagradas da “Família Velozes), como Dom (Vin Diesel), Letty (Michelle Rodriguez), Hobbs (Dwayane Johnson), Roman (Tyrense Gibson) e o mestre do crime, Owen Shaw (Luke Evans). Portanto, se este for o seu destino na primavera americana, além de todos os outros cuidados para a sua viagem, não esqueça de conferir a capacidade de resolução fotográfica do seu smartphone, tipo de lente, plug-ins, sobretudo velocidade de processamento, claro, e prepare-se para fazer muitas fotos.

Como gastar menos – São tantas atrações, tantos parques, um mais interessante que o outro, que se faz difícil decidir qual ou quais visitar. Se quiser conhecer todos, e tiver tempo e dinheiro para isso, certamente não conseguirá em um único dia.

Como a economia americana não é predadora, ou seja, aqui os vizinhos e semelhantes se unem pelo bem comum, no geral prevalece o sistema em que você pode economizar comprando pacotes de uma semana com vários parques incluídos. “Quem fica mais paga menos”, este é o lema das administradoras dos parques.

Exemplo disso é o que acontece na Disney. Lá, quem compra o passe de uma semana irá pagar, por dia, o equivalente a menos da metade do preço do ingresso diário avulso, e você ainda pode adicionar o passe Park Hopper, que dá direito a visitar mais de um parque por dia entre os incluídos no pacote básico, e o Water Parks Fun & More, que o levará aos parques aquáticos. Enfim, se você tem disposição, tempo e raciocínio financeiro para economizar, poderá comprar entradas combinadas para vários parques.

Bagagens – Desde maio de 2017 os brasileiros vivem uma nova realidade com o fim das franquias de bagagens. Isso, embora seja um incomodo ter de pagar pela bagagem despachada, nos leva a entender melhor esse tipo de situação nas viagens ao exterior.

Assim, além de considerar que o limite de bagagem nos voos do Brasil aos Estados Unidos (e vice-versa) é de duas malas com 23 kg cada por passageiro, e acima disso terá de pagar o excesso, também é preciso lembrar que as empresas aéreas americanas cobram pelas malas despachadas em voos domésticos, exceto conexão internacional. Fiz o voo Nova York-Orlando pela United e paguei US$ 15 de excesso.

Como se locomover – Orlando é uma cidade espalhada, onde tudo é muito longe. Por exemplo, se você está em alguma outlet na International Drive, e resolver ir ao shopping Florida Mall, terá de encarar uma distância de 10 km, e se estiver no Magic Kingdom, no complexo da Disney, saiba que a distância para Flórida Mall é de 30 km.

A menos que você tenha comprado um pacote que inclui os traslados, alugar um carro será sempre uma boa pedida, ainda mais com tantas belas avenidas que mais parecem rodovias e todas bem cuidadas. Só não esquecer de incluir no orçamento os gastos com estacionamentos.

Nas jardineiras da I-Ride Trolley você pode conhecer Orlando e até os arredoresNas jardineiras da I-Ride Trolley você pode conhecer Orlando e até os arredores

A CNH brasileira é bem-vinda em Orlando. É aceita pelas patrulhas de trânsito e também nas locadoras. Confesso que tive a ideia de alugar um carro, mas nas locadoras que visitei esbarrei no fato de que tenho receio de carro automático e a opção por carro mecânico, além de bem mais cara, eu ainda teria de encarar uma lista de espera por uma a duas semanas.

Se você não tem esse tipo de problema, apenas faça a sua escolha do modelo que achar mais adequado, e aproveite para verificar se a sua locadora tem algum tipo de parceria com a companhia aérea na qual você comprou a passagem, porque isso pode significar descontos.

Em Orlando optei por circular de ônibus. São duas empresas de transporte de passageiros que atendem a cidade e seus arredores, a Lynx e a I-Ride Trolley. Com o preço da passagem a US$ 2, a Lynx é inconfundível com seus ônibus cor-de-rosa. São mais de 60 linhas e no site da empresa – https://www.golynx.com/ – você pode tirar dúvidas sobre as linhas, horários e as paradas.

Já a I-Ride Trolley com tarifa a US$ 1,25 é uma jardineira que circula pela International Drive, principal via de Orlando, das 8h às 22h30, e passa por parques, restaurantes, museus e supermercados. Na verdade é uma espécie de city tour a preços bem econômicos.

Em The Wizarding, as luzes noturnas no castelo de Hogwarts no mundo mágico de Harry PotterEm The Wizarding, as luzes noturnas no castelo de Hogwarts no mundo mágico de Harry Potter

Dicas sobre comida nos parques – A parte de alimentação nos passeios pelos parques é uma questão bastante complexa, especialmente se você for uma pessoa que não encara qualquer tipo de comida. São muitas opções por toda parte, mas a grande maioria delas bem ao estilo americano, sempre com muita gordura, começando pelo café da manhã a base de omeletes de bacon.

Se não quiser o breakfast deles, você pode optar por comer hambúrguer no McDonald’s, Wendy’s e Burguer King ou escolher entre anéis de cebola à milanesa fritos, que são os onion rings, os cookies (biscoitos doces), cheese cake, um tipo de torta de queijo, crab cake, famosos bolinhos fritos a base de carne de caranguejo, brownie, dunuts, enfim.

Mas calma. Se nada disso o agrada, resta ainda levar lanches ao seu gosto que você pode encontrar facilmente em supermercados, e Walmart em Orlando tem mais do que capivara no Pantanal. Nos parques só não é permitido entrar com itens de vidro e bebidas alcoólicas. Ou seja, prepare uma boa matula com lanches, frutas, biscoito integral, faça o que achar melhor para matar a fome sem ter que comer comida de americano. Assim, você economiza uma boa grana e não precisará enfrentar filas para comprar seu lanche.

Nos lugares mais em conta, os preços variam entre US$ 8,99 por um prato de sopa ou salada, US$ 10,49 por uma salada de frango com gengibre, salmão grelhado por US$ 11,99, e a tigela media de carne com molho teriyaki, uma sugestão de comida asiática, por US$ 11,49.

Quando ir a Orlando – Se você é do tipo que se incomoda com multidões e filas intermináveis até para ir ao banheiro, então é melhor não programar visita aos parques entre maio e agosto, que é o período de verão nos Estados Unidos, e na época entre o Dia de Ação de Graças (23 de novembro) e o Ano Novo. Se o objetivo for os parques aquáticos, melhor evitar o inverno, que vai de dezembro a março. Ainda que o frio em Orlando seja suportável para nós brasileiros, cair na água não será algo muito agradável, mas financeiramente é a melhor época porque os preços estarão bem mais em conta.

Orlando é um lugar encantador, e na televisão a todo instante entram comerciais destacando os parques e com a mensagem dizendo que a cidade é para ser visitada em todas as estações do ano, mas nada como ser precavido. Entre março a junho, ou seja, na primavera, e entre meados de outubro e novembro, são as melhores épocas. É quando Orlando tem céu azul, calor e o agito nos parques é bem mais tranquilo. Único inconveniente na primavera é que nesta época acontecem os furações.

Para planejar sua viagem busque informações sobre os parques temáticos, como compra de ingressos, passeios, eventos e novidades no site oficial – http://www.visitorlando.com

Veja duas opções de sites oficiais para você pesquisar e planejar sua viagem para Walt Disney World: https://disneyworld.disney.go.com/pt-br/ e http://disney.com.br. www.lugaresporondeando.com.br



imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.