A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 24 de Março de 2019

27/02/2019 08:03

Paixão de cunhados pelo Carnaval fez surgir blocos oficiais que desfilam domingo

Ablanc nasceu para resgatar as marchinhas de Carnaval e blocos concorrem a prêmios.

Thailla Torres
José Carlos (à esquerda) ao lado da esposa Wilma, com quem casou no Carnaval de 1969. (Foto: Arquivo Pessoal)José Carlos (à esquerda) ao lado da esposa Wilma, com quem casou no Carnaval de 1969. (Foto: Arquivo Pessoal)

Nos blocos independentes é mais ou menos assim: um amigo chama o outro e assim milhares de pessoas se reúnem para folia na Esplanada Ferroviária. Mas, aos domingos, nos últimos anos, o dia tem sido especial para o desfile dos Blocos Oficiais da Ablanc (Associação dos Blocos, Bandas, Cordões e Corso Carnavalesco Cultural de Campo Grande). Muita gente ainda confunde esses blocos com o tradicional Cordão Valu e o Capivara Blasé, mas eles são diferentes porque para participar há regras, embora carreguem igualmente um amor profundo pelo Carnaval.

Em 2019, 16 blocos oficiais desfilam na Avenida Calógeras com seus abadás, percussões, estandartes e animação para o público e os jurados, que a exemplo de todos os anos, vão avaliar os seguintes quesitos: criatividade, conjunto, porta estandarte, animação e empolgação.

Os blocos fazem parte de várias comunidades em bairros como Centro, São Francisco, Santa Luzia Mata do Jacinto, Aero Rancho, Tarumã e Columbia. “São comunidades que foram crescendo, tomando conhecimento dos blocos oficiais e fazendo um Carnaval de resgate das marchinhas de antigamente”, explica a diretora administrativa Chris Guedes, filha de um dos fundadores da Ablanc, que faleceu no ano passado, dias após o Carnaval, vítima de câncer.

Eu Meto Bico, um dos blocos oficiais da Ablanc. (Foto: Portal do MS)"Eu Meto Bico", um dos blocos oficiais da Ablanc. (Foto: Portal do MS)

Nascimento da Ablanc - “É como se ele estivesse esperado a data mais importante do ano pra ele passar”, explica Chris ao falar do pai José Carlos Guedes, que fundou a associação em 2008 ao lado do cunhado e melhor amigo Walfrido de Almeida, agora presidente da entidade.

Os blocos oficiais surgiram diante do desejo de regatar as marchinhas e os corsos, os tradicionais desfiles utilizando carros, geralmente antigos, abertos e ornamentados, pelas ruas da cidade. “Mas os carros quase não existem mais, porém meu pai quis colocar por uma questão cultural”.

José sempre foi um apaixonado pelo Carnaval, lembra a filha. “Até se casou na época do Carnaval, em 1969. Se estivesse vivo, comemoraria neste Carnaval bodas de ouro com minha mãe”.

Quando José fundou a entidade, havia quatro blocos participantes “Bem te Vi”, “Tereré”, “Margarida” e “Saúde Que Interessa”, destes somente o Bem Te Vi e Tereré permanecem desfilando até hoje.

Hoje, 18 blocos oficiais fazem parte, alguns com até 400 integrantes. “Segundo o nosso regulamento, deve haver no mínimo 100 integrantes”, explica a diretora.

Quando o desfile começa surgem os blocos de cordões, munidos de instrumentos de sopro, cantando as marchinhas. Em seguida aparecem os blocos de embalos, com muitos integrantes. “Esse é o mais disputado, eles aparecem com bateria e instrumentos de percussão. Todos eles vêm dispostos a ganhar”.

Como participar – Não basta chegar para fazer folia, participar de um bloco oficial é tão importante como fazer parte de uma escola de samba. Exige ensaio, comprometimento com as regras da entidade e principalmente animação. “Muita gente pergunta como fazer parte, o primeiro passo é falar com a associação e informar de qual bairro a pessoa é, em seguida passamos o contato do presidente dos blocos em regiões próximas. Cada bloco tem suas regras referentes aos abadás e participantes da percussão. Nem todo mundo vende a camiseta, por exemplo, alguns permitem que o participante vá com uma camiseta da mesma cor do bloco”.

No dia do desfile, Chris explica que alguns foliões entram no bloco de última hora. “Isso também é possível, mas é preciso seguir o bloco com tranquilidade, cantar e animar junto com os integrantes, afinal todo mundo está sendo julgado”.

Desfile - Abrem o desfile no próximo domingo (3) os Blocos de Cordões “Tô chegando”, “Ee meto bico”, “Tô de olho em você”, “Tô à toa”, “Turma do mel”, “Bem te vi” e “Tereré”.

Em seguida aparecem os blocos de embalo “Imperio dos amigos”, “Corujinha”, “Formigueiro”, “Vai ou racha”, “Lobo mal”, “Os bambas do BH”, “Força do tigre”, “Beber cair e levantar “, “Amor eu vou ali” e “Nuga e amigos”.

O telefone para contato da Ablanc é o (67) 99210-1541.

Programação:

17:00 - Abertura Oficial

18:00 Desfile dos Blocos Cordões

1 – Bloco convidado nada sobre nós, sem nós
2 – bloco convidado blue
3 – bloco tereré
4 – bloco tô chegando
5 – bloco tô a tôa
6 – bloco tô de olho em você
7 – bloco turma do mel
8 – bloco bem-te-vi
desfile do rei momo e rainha

21:30 desfile dos blocos de embalo
1 – bloco lobo mau
2 – bloco bambas do bh
3 – bloco vai ou racha
4 – bloco amor eu vou ali
5 – bloco cair, beber e levantar
6 – bloco formigueiro
7 – bloco nuga e amigos
8 – bloco império dos amigos
9 – bloco a força do tigre
10 – bloco corujinha

02:30 Agradecimentos

03:00 Encerramento

Curta o Lado B no Facebook e Instagram.



imagem transparente

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.