ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SÁBADO  08    CAMPO GRANDE 18º

Diversão

Primeiro parque que permite cães abre para "melhores amigos" a partir de amanhã

No Sóter, donos de cachorros irão poder passear com animais na guia; também foi anunciada uma reforma para o parque

Por Bruna Kaspary | 31/01/2019 11:51
A partir de amanhã cães poderão entrar no parque do Sóter (Foto: Henrique Kawaminami)
A partir de amanhã cães poderão entrar no parque do Sóter (Foto: Henrique Kawaminami)

A partir de amanhã (1°) os proprietários de cachorros que quiserem passear em locais diferentes com os pets terão o “Parcão” para aproveitar. O Sóter será o primeiro parque a permitir que os donos de cães passeiem com os animais, desde que eles estejam na guia.

Foi assinado hoje, durante o lançamento do calendário municipal do esporte, a autorização da entrada dos animais no parque do Sóter, onde será construída uma área específica para recreação dos animais.

O “Parcão”, como foi batizado, será feito através de uma parceria da prefeitura e da iniciativa privada, segundo o diretor-presidente da Funesp (Fundação Municipal do Esporte), Rodrigo Terra. “É uma área para que os animais se divirtam, socializem e também pratiquem atividade física”, comenta.

A expectativa para inauguração do Parcão, de acordo com o diretor-presidente, é entre dois e três meses, já que será necessário fazer uma licitação para escolher qual empresa ficará responsável pela construção da área.

Reforma geral – Durante o evento, também foi anunciado que o parque do Sóter irá passar por uma reforma geral. O valor do investimento pode chegar a R$ 600 mil, segundo Rodrigo Terra.

“Será revitalizada a passarela da pista de caminhada, guarita, parte elétrica e hidráulica e toda a pintura do parque”, garante o diretor-presidente da Funesp. Somente a passarela está interditada há pelo menos quatro meses, impedindo que os usuários do parque deem a volta usando a pista de caminhada.

Passarela está interditada há pelo menos quatro meses (Foto: Henrique Kawaminami)
Passarela está interditada há pelo menos quatro meses (Foto: Henrique Kawaminami)