A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 14 de Outubro de 2019

21/10/2018 08:50

Chefão da feira de games, Marcelo Tavares faz promessas para 2019

Jorge Miashike
E ele deu suas impressões sobre a BGS e fez algumas promessas para o próximo ano.E ele deu suas impressões sobre a BGS e fez algumas promessas para o próximo ano.

No dia 14 de outubro, aconteceu o último dia da Brasil Game Show e foi realizada a coletiva de imprensa com o CEO da feira, Marcelo Tavares. E ele deu suas impressões sobre a BGS e fez algumas promessas para o próximo ano.

A BGS, a maior feira do segmento de jogos eletrônicos da América Latina, teve um aumento no número de patrocinadores. Houve também o retorno da Nintendo para o evento, a última vez que a companhia japonesa participou da BGS foi em 2012. Este ano, ela patrocinou a Cosplay Zone, uma área do evento onde foram realizadas as competições e desfiles de cosplays.

O retorno do YouTube para a feira foi algo super positivo, pois além desta plataforma, outras que participaram do evento como Twitch e Cube TV foram essenciais para transmitir a quem não pode vir a Brasil Game Show os diversos campeonatos que aconteceram ao longo dos dias.

Um público bem diversificado compareceu em massa, pois a feira conseguiu trazer conteúdo para jogadores de console, celular, PC e também para quem gosta de cosplay e campeonatos. Além disso, a BGS conseguiu dobrar o número de convidados internacionais, a respeito do Meet & Greet e iniciativas de painéis, Marcelo Tavares disse que “o que posso prometer é que no nosso caso, esse ano já aconteceu isso, duplicamos os Meet & Greet para dois, a gente não cobra nada dessa parte, pois acho que não é a política correta. Não vamos cobrar nada de nenhuma iniciativa de painéis, para que as pessoas possam acessar. A gente entende que o painel tem toda a questão do conteúdo. Iniciamos esse ano também o BGS Summit que é algo que vai ter continuidade, vai aumentar e vai ser desenvolvido em paralelo para um público específico.”

Os desenvolvedores independentes também vêm ganhando mais espaço: “A ideia nossa é permanecer com a área indie, é uma área que não reverte nenhum tipo de lucro para a BGS, porém procuramos incentivar. O meu desejo pessoal, já falei isso outras vezes, é ver realmente um dia um game brasileiro saindo daqui e se tornando sucesso global.”

Sobre a Brasil Game Cup, Marcelo aponta que “a princípio, o que nós fizemos esse ano foi fazer um investimento maior nela. Então foi bacana que trouxemos o MIBR para participar, foi um verdadeiro prêmio para a equipe que conseguiu passar pelas qualificatórias, ganhar o Counter Strike masculino na BGC e poder enfrentar a equipe mais famosa do país, e que está sempre figurando no top five mundial.” Marcelo adiciona sobre os jogos de luta: “também é nosso desejo de ter jogos de luta na própria Brasil Game Cup, no palco principal, acho que é o objetivo que nós temos já há algum tempo, já nem é desse ano, há cerca de dois anos a gente tem tentado. Acho que o Tekken, Street Fighter, Mortal Kombat, King of Fighters.”

Por fim, Marcelo Tavares comentou sobre a importância de Hideo Kojima ter participado da décima edição da Brasil Game Show: “eu acho que o Kojima foi fundamental, isso te digo. O próprio Fumito Ueda falou com Kojima antes de vir para cá. Quando você tem boas referências e quando o brasileiro, de modo geral, recebe bem, esses caras querem voltar, e o legal é que todos eles falaram assim: “poxa, arrebentou, adoramos, queremos vir pra cá de novo”, queriam andar sem segurança pelos corredores.”

A Brasil Game Show tem tudo para continuar crescendo e oferecendo cada vez mais para os fãs. Ano que vem tem mais!

Conheça o Video Game Data Base, o museu virtual brasileiro dos videogames. Pensou videogame, pensou VGDB. A coluna de games do Lado B tem o apoio do Expo Video Game.

imagem transparente

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.