A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 21 de Agosto de 2018

10/10/2017 19:31

Ingredientes de aldeia e até de cerveja fazem parte de receitas de hambúrgueres

Festival Burger Fest MS acontece de 14 a 30 de outubro e tem 20 hamburguerias, bares e casas noturnas participando

Lucas Arruda
Kalymaracaya preparou o Hambúrguer Pantaneiro para concorrer no festival (Fotos: Marina Pacheco)Kalymaracaya preparou o Hambúrguer Pantaneiro para concorrer no festival (Fotos: Marina Pacheco)

Hambúrgueres dos mais variados tipos tipos serão servidos no Burger Fest MS a partir do dia 14 deste mês até o dia 30. Tem hambúrguer com surtum – tipo de carne de sol pantaneira –, carne de pato, com pão e molho feito com malte e lúpulo que sobram do preparo de cerveja artesanal. São 20 hamburguerias, bistrôs e casas noturnas de Campo Grande participando do evento.

O participante que é a cara do Pantanal é o Hambúrguer Pantaneiro, idealizado pela chef indígena Kalymaracaya Mendes Nogueira, que é da aldeia Bananal, que fica em Aquidauana. Ela o desenvolveu pela Hambugreria. “Utilizei nele ingredientes que lembram minha aldeia, tudo bem regional mesmo. Gosto de levar tudo o que aprendi lá para as pessoas”, conta.

 

Hambúrguer com carne de pato também é uma das revelações do festivalHambúrguer com carne de pato também é uma das revelações do festival

No Hambúrguer Pantaneiro vai surtum, carne de sol que não é gorda nem magra. “Queria usar carne de jacaré, mas ficou inviável pelo preço então fui para o surtum que também é bem típico”, pontua. No recheio ainda vai bacon artesanal, queijo nicola frito e empanado, maionese feita com ovo caipira, pimenta de cheiro e mel de Jateí. O lanche é acompanhado mandioca frita e custa R$ 27,90.

Kalymaracaya aprendeu cozinhar bem cedo, quando ainda era criança, acompanhando a avó e mãe fazendo receitas tradicionais de seu povo em sua aldeia. Depois de se tornar adulta, decidiu ter a gastronomia como profissão após ver, principalmente na televisão, diversos chefs falando sobre receitas indígenas sem muito respaldo.

“Muitas vezes não era aquilo que eles diziam, eles não cresceram em aldeias. A partir daí quis levar tudo o que aprendi e comecei a pesquisar pelo Brasil, já viajei diversos estados divulgando nossa gastronomia”, revela.

Além do lanche da Hambugreria, outro que chama bastante atenção é o Hambúrguer Morena, da cervejaria Prosa. O pão é preto, feito com malte que sobra do preparo da cerveja artesanal servida no estabelecimento. O hambúrguer da receita é recheado de queijo brie e o lanche ainda leva bacon de cogumelo, mel, rúcula, tomate e é acompanhado de batata chips e maionese feita com lúpulo, que também sobra do preparo da cerveja.

“Quisemos fazer um hambúrguer em que reaproveitássemos tudo o que sobra na cervejaria, uma ideia sustentável para não ter desperdício de nada, assim surgiu a ideia”, afirma o chef Ricardo Scher. O lanche custa R$ 38.

O hambúrguer do Domus Bistrot também chama atenção. Ele é feito com carne da coxa do pato, creme de gorgonzola e damasco, rúcula e vinagre balsâmico. O pão é feito de curry. “É uma releitura de um de nossos hambúrgueres, os sabores se completam, a carne é picada na ponta da faca, ela é mais tenra combina com o resto”, pontua o chef André Nardo.

Acompanhe a programação do festival e quem está participando através do site.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram.

Hambúrguer de pão preto e maionese é feito com malte e lúpulo da cervejaHambúrguer de pão preto e maionese é feito com malte e lúpulo da cerveja


imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.