ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUARTA  10    CAMPO GRANDE 13º

Meio Ambiente

Após sobreviver ao fogo, tamanduá concorre ao título de personalidade animal

Cecília faz parte do projeto Órfãos do Fogo que resgata animais da espécie dos incêndios no Pantanal

Por Gabriela Couto | 03/07/2022 13:08

Tomando banho de banheira, a tamanduá-bandeira Cecília esbanja carisma e fofura para conseguir sensibilizar o máximo de seguidores no mundo virtual. A sobrevivente dos incêndios do Pantanal faz parte do projeto órfãos do fogo, do Instituto Tamanduá, e agora luta para ganhar o título internacional de personalidade única animal.

Cecília é órfã dos incêndios de 2019. (Foto: Manoela Pinho / Instituto Tamanduá)
Cecília é órfã dos incêndios de 2019. (Foto: Manoela Pinho / Instituto Tamanduá)

Em jogo está o prêmio de 10 mil dólares que vão ajudar a salvar mais bichinhos da espécie. Hoje, o tamanduá-bandeiro é classificado como vulnerável nas listas vermelhas de animais ameaçados de extinção nacional e internacional.

O prêmio da World Animal Protection foi criado em homenagem a protetora da fauna silvestre, Audrey Mealia. O concurso apresenta as personalidades distintas dos animais selvagens e os locais que os protegem.

 Para votar é muito simples, fácil e rápido. Basta acessar ao perfil do Instagram @world_animal_protection e comentar na foto oficial do prêmio a seguinte frase: "Cecília @institutotamandua". Os responsáveis pelo instituto pedem que todos compartilhem o máximo que puder. A votação se encerra no dia 11 de julho.

Cecília se exibindo para câmera. (Foto: Manoela Pinho / Instituto Tamanduá)
Cecília se exibindo para câmera. (Foto: Manoela Pinho / Instituto Tamanduá)

Órfãos do fogo - Cecília é uma dos 54 tamanduás-bandeira socorridos em 2019, durante os incêndios florestais no Pantanal. Muitos filhotes acabaram perdendo a mãe que não sobreviveu aos ferimentos.

Por isso, o Instituto Tamanduá junto com o CRAS (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres) criaram o projeto de reabilitação e reintrodução desses órfãos. Uma segunda chance para que eles pudessem voltar à natureza.

A base do projeto fica na Pousada Aguapé, em Aquidauana, a 141 km de Campo Grande. Em reabilitação estão oito jovens e dois adultos, e na fase pré-soltura existe um indivíduo. Os animais são mantidos em oito recintos de reabilitação e um recinto de imersão. O projeto já reintroduziu quatro tamanduás-bandeira, que são monitorados diariamente por telemetria.

Para ajudar a campanha de financiamento coletivo clique aqui ou faça um PIX de qualquer valor pelo e-mail apoie@tamandua.org.

Nos siga no Google Notícias