ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEGUNDA  13    CAMPO GRANDE 28º

Meio Ambiente

Em menos de três meses, pescador é preso novamente pela PMA

Por João Humberto | 30/12/2010 22:34
No acampamento em que pescador estava, duas motocicletas foram apreendidas. (Foto: Divulgação).
No acampamento em que pescador estava, duas motocicletas foram apreendidas. (Foto: Divulgação).

A PMA (Polícia Militar Ambiental) de Jardim prendeu ontem à tarde o pescador Rosalino Ortis Gomes, 37, por pescar em período de piracema no rio Miranda. No acampamento dele e de outro pescador que fugiu, os policiais apreenderam duas redes de pesca e duas motocicletas.

No momento em que foi preso, Rosalino ainda não havia capturado pescado. Ele recebeu voz de prisão por crime ambiental foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil, junto com o material apreendido.

Rosalino acabou sendo solto, pois pagou fiança, mas pode ficar preso de um a três anos, caso seja condenado. A PMA efetuou auto de infração administrativa e multou o pescador em R$ 3,5 mil.

O outro pescador também responderá por crime e receberá multa no mesmo valor, quando for identificado. Sua localização pode acontecer por meio dos dados da motocicleta.

Preso de novo - Rosalino já havia sido preso pela PMA por pesca predatória no dia 21 de janeiro, pouco antes da piracema. Ele pilotava uma motocicleta numa região conhecida como Estrada da Cachoeirinha.

O pescador estava na companhia de um passageiro, que empreendeu fuga. Ao perceberem que seriam alcançados, os motociclistas abandonaram o veículo e duas sacas de tecido, fugindo pela mata.

Nas sacas, os policiais localizaram uma rede de pesca e vários exemplares de pescado, que tinham sido capturados. Após buscas pela mata, a PMA conseguiu prender Rosalino, proprietário da moto.

O pescado, a rede de pesca e uma bicicleta que seria do fugitivo, bem como a moto foram apreendidos. Rosalino recebeu voz de prisão e foi conduzido à Delegacia de Jardim, juntamente com o material apreendido, sendo autuado em flagrante por pesca predatória e recebendo multa de R$ 900 reais.