ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEXTA  30    CAMPO GRANDE 23º

Meio Ambiente

Governo do MS quer montar brigada permanente no Pantanal

Planejamento de prevenção e combate a queimadas florestais está sendo elaborado

Por Lucia Morel | 18/10/2020 09:01
Brigadistas do PrevFogo são acionados em demanda sazonal, sempre a partir de junho, quando os incêndios florestais se intensificam. Ideia é ter grupo permanente de pronta resposta. (Foto: PrevFogo)
Brigadistas do PrevFogo são acionados em demanda sazonal, sempre a partir de junho, quando os incêndios florestais se intensificam. Ideia é ter grupo permanente de pronta resposta. (Foto: PrevFogo)

Mato Grosso do Sul prepara a criação de uma brigada permanente de prevenção e combate a incêndios no Pantanal. Diante do cenário trágico do bioma em 2020 e depois de estragos já recordes em 2019, o governo terá um plano, com base em orientações do Corpo de Bombeiros e outras forças, para manter combatentes permanentemente por lá.

Em live transmitida pela redes sociais, o secretário da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), Jaime Verruck, enfatizou a necessidade desse tipo de estrutura, já a preparando para os incêndios de 2021.

“Temos que ter uma estrutura adequada de prevenção e combate para ação imediata quando as queimadas começarem”, destacou o secretário. Os bombeiros já teriam encaminhado à Semagro uma lista de materiais necessários a serem adquiridos para a brigada, como abafadores, bombas costais e outros.

O tenente-coronel bombeiro, Waldemir Moreira, explica que o plano deve estar finalizado até abril, para entrada em vigor a partir de maio. Até lá, pantaneiros devem ser treinados e capacitados para atuarem na prevenção e combate.

O principal objetivo com a capacitação e implantação de brigadas é atuar na prevenção do fogo. “As brigadas atuam no combate assim que o fogo inicia e vamos montar brigadas para a prevenção. Eles vão fazer o primeiro combate até a chegada das equipes com mais equipamentos”, disse Moreira.

Segundo ele, sem melhor estrutura, que será possível com as brigadas, a atuação dos bombeiros é de apenas apagar incêndios, sem condições de realizar qualquer tipo de prevenção ao fogo.

“Já existe uma lei referente a incêndios florestais, mas precisa de normas técnicas e estruturar, por exemplo, que em todas as fazendas, na verdade a área rural como um todo, possa se equipar e ajudar para dar essa resposta rápida aos incêndios”, sustenta, lembrando que peões, pantaneiros e pantaneiras deverão ser capacitados para fazerem parte das brigadas.

Além do Pantanal, o plano vai nortear ações para os outros dois biomas presentes em Mato Grosso do Sul: Mata Atlântica e Cerrado.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário