ACOMPANHE-NOS    
JULHO, QUARTA  15    CAMPO GRANDE 30º

Meio Ambiente

Ibama MS multa em R$ 105 mil dona de fazenda onde ocorria safári de onças

Por Ítalo Milhomem | 09/05/2011 12:43
Carcaças foram encontradas pela polícia.
Carcaças foram encontradas pela polícia.

Beatriz Rondon, proprietária da fazenda Santa Sofia no município de Aquidauana, que também é uma unidade de conservação ecológica foi multada em R$ 105 mil pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais de Mato Grosso do Sul) por conta das peças de animais silvestres mortos em caçadas encontradas na sede da propriedade. Ela foi autuada por crime ambiental de caça ilegal de animais silvestres.

As multas foram definidas com base na pericia da Embrapa (Empresa

Brasileira de Pesquisa Agropecuária) Pantanal feito nos dois crânios de onças apreendidos na operação Jaguar II da Polícia Federal em conjunto com Ibama/MS.

Também fazem parte da autuação as 16 galhadas de cervos do Pantanal, uma de sucuri, que foram encontrados na fazenda. As multas tiveram o valor dobrado por se tratar de abate de animais silvestres para fins turísticos em uma Unidade de Conservação.

As investigações que resultaram na operação foram iniciadas após um vídeo, que mostra o safári na fazenda Santa Sofia. Beatriz aparece nas imagens enviadas para a Polícia federal.

“É uma fêmea muito linda, mas estava matando o meu gado”, diz Beatriz no vídeo. Ela chegou a ser presidente de uma ONG para preservação do Pantanal, a SODEPAN ( Sociedade para a Defesa do Pantanal).

No início do ano, ela denunciou, inclusive, mortandade de peixes no Rio Negro, que depois foi avaliada como fenômeno natural, conhecida como decoada.

Beatriz Rondon, proprietária da fazenda Santa Sofia, ficou conhecida por denunciar decoada no Rio Negro.
Beatriz Rondon, proprietária da fazenda Santa Sofia, ficou conhecida por denunciar decoada no Rio Negro.

A proprietária da fazenda foi procurada pela reportagem do Campo Grande News, mas avisou que somente irá se pronunciar por meio do seu advogado, Renê Siufi, que afirmou que irá recorrer da multa, já que as alegações da Polícia Federal e do Ibama seriam infundadas.

“Ainda não estou sabendo muito bem desta multa, mas vamos tomar todas as medidas porque essa multa é altamente ilegal. As alegações de que os crânios são novos não tem fundamento. Eles são antigos e os vídeos também, até porque se fosse algo recente todos estariam presos em flagrante. O vídeo também não é original e foi editado. Vou pedir a perícia a perícia em todo esse material”, afirmou Siufi.

Já o Ibama garante que perícia feita nos crânios dos animais mostra que a morte foi recente, porque ainda há material orgânico.