A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 21 de Novembro de 2017

19/10/2017 09:37

Mata Atlântica de parque é preservada apesar de fogo destruir 30 mil hectares

Renata Volpe Haddad
Foto aérea mostra local do parque queimado. (Foto: Imasul)Foto aérea mostra local do parque queimado. (Foto: Imasul)

O combate ao incêndio no Parque Estadual das Várzeas do Rio Ivinhema está sendo feito de maneira para preservar as áreas de Mata Atlântica que estão sendo reflorestadas no local e a região próxima às estruturas da sede da Unidade de Conservação. O fogo que atinge o Parque há sete dias, já consumiu 30 mil hectares de pastagens, que são basicamente brachiaria, remanescentes na região.

O guarda-parque do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), Reginaldo Oliveira, também coordenador do Parque das Várzeas do Rio Ivinhema, reforçou o empenho dos bombeiros e das prefeituras da região no auxílio ao combate ao incêndio.

“Nós direcionamos o trabalho com o objetivo de preservar as estruturas físicas que temos na Unidade de Conservação e as áreas de Mata Atlântica onde fazemos reflorestamento. O fogo atingiu a parte norte, onde temos áreas remanescentes de pastagens, mesmo com algumas perdas, a biodiversidade do Parque está preservada”, afirmou.

A situação foi apresentada no fim da tarde de ontem (18), por Oliveira, ao secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familar, Jaime Verruck, ao secretário adjunto, Ricardo Senna, ao Assessor Policial Militar da Semagro, Tenente Coronel Renato dos Anjos Garnes e ao gerente de Unidades de Conservação do Imasul, Leonardo Tostes Palma.

Mais 10 militares para o combate ao incêndio foram encaminhados pelo Corpo de Bombeiros para região. Eles auxiliam os outros nove bombeiros de Fátima do Sul, Naviraí, Nova Andradina e Ivinhema, que já estão no local. Além deles, os servidores do Imasul que trabalham no Parque e funcionários da prefeitura de Taquarussu continuam auxiliando no controle das chamas.

Com previsão de chuva para os próximos quatro dias em Mato Grosso do Sul, a expectativa é de que haja precipitação na região do Parque em quantidade suficiente para contribuir com a extinção dos focos de incêndio.

Clima - O vento e o calor ajudam a propagar o incêndio que começou no dia 12 de outubro causado por raios. Os militares combatem as chamas usando motobombas e equipamentos em quatro caminhonetes. As chuvas esperadas podem ser esparsas, deixando todo o trabalho de controle das chamas para os bombeiros.

O Parque é a primeira Unidade de Conservação criada em Mato Grosso do Sul, e abrange os municípios de Jateí, Naviraí e Taquarussu. 

As fotos aéreas capturadas pelo Imasul, mostram a dimensão do incêndio. Confira a seguir.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions