ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MARÇO, SEGUNDA  04    CAMPO GRANDE 27º

Meio Ambiente

Nas costas da mãe morta, filhote de tamanduá sobrevive a atropelamento

Após o nascimento, a fêmea carrega o filhote por cerca de seis meses em seu dorso

Viviane Oliveira | 25/09/2022 11:39
Filhote que perdeu a mãe em acidente (Foto: divulgação / PMA)
Filhote que perdeu a mãe em acidente (Foto: divulgação / PMA)

Policiais militares ambientais foram acionados pela Polícia Militar para buscar um filhote de tamanduá-bandeira que havia sido atropelado com a mãe, na BR-267, em Nova Alvorada do Sul, distante 116 quilômetros de Campo Grande.

O animal seguia no dorso (região entre as costas e o rabo) da mãe, quando houve o acidente. Ele sofreu ferimentos numa das patas, mas a mãe não resistiu e morreu no local. Após o nascimento, a fêmea carrega o filho por cerca de seis meses em seu dorso.

O filhote foi recolhido e encaminhado ao hospital veterinário da Unigran em Dourados, onde recebeu atendimento médico veterinário. Ele será trazido ao Cras (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres) de Campo Grande para tratamento e possível reintrodução na natureza.

A Polícia Militar Ambiental orienta que em casos de atropelamento de animais silvestres, o socorro deve ser feito pelo motorista. "O procedimento correto é parar em local seguro e com segurança, verificar se o animal está morto. Se não estiver, efetue o socorro, porque toda vida tem um sentido e vale a pena", informou o texto encaminhado pela corporação.

Ainda conforme a nota, se estiver morto no meio da pista de rolamento, o bicho deve ser levado ao acostamento para evitar outro acidente. "Jamais fazer o que o motorista desse caso fez ao deixar o filhote abandonado, que poderia ter morrido de fome".

Nos siga no Google Notícias