ACOMPANHE-NOS    
JULHO, QUARTA  15    CAMPO GRANDE 18º

Meio Ambiente

Prefeito lança coleta seletiva e pede participação da população

Por Francisco Júnior | 28/06/2011 22:10

Evento foi realizado no Armazém Cultural

Prefeito mostra o recipiente que será entregue nos domicílios.
Prefeito mostra o recipiente que será entregue nos domicílios.

Visando a participação da população, o prefeito de Campo Grande, Nelson Trad Filho (PMDB), lançou na noite desta terça-feira (28) o “Reciclar é Viver”, projeto de coleta seletiva do lixo produzido no município. O evento foi realizado no Armazém Cultural.

De acordo com o prefeito, a coleta seletiva já vem sendo discutida desde o seu primeiro mandato, e agora depois de vários estudos, pode de fato ser implantado na cidade. Segundo ele, é imprescindível o envolvimento da população neste projeto. “É uma questão de educação e conscientização. As pessoas têm que despertar para essa participação. Nós vamos não vamos parar. Vamos ficar lembrando as pessoas”, explicou o prefeito.

O titular da Semadur, Marcos Antônio Moura Cristaldo, definiu o projeto como ousado. “É um projeto de longo e médio prazo e será dividido em um tripé: destinação (lixo), logística e educação ambiental”, ressaltou.

Durante o evento, o prefeito sancionou a lei 4.952 que institui a política municipal de resíduos sólidos.

Com esta iniciativa, a Capital entra na lista das 400 cidades do país que implementaram a coleta seletiva. O projeto já entra em prática a partir do 1º de julho, quando um caminhão equipado com uma gaiola gigante vai passar pelos bairros Carandá, Autonomista, Santa Fé, Veraneio, Chácara Cachoeira, Bela Vista, Tiradentes, São Lourenço, TV Morena, Vilas Boas e Vila Carlota, recolhendo o lixo sólido separado pelos moradores, que já foram orientados por equipes da prefeitura como será o procedimento. Eles receberam sacolas verdes destinadas ao lixo reciclável. Através de um estudo, a Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano) identificou que estas regiões são as que produzem mais lixo reciclável.

Além da sacola, cada domicílio irá receber gratuitamente um recipiente plástico, uma espécie de lixeira, para destinar os materiais que podem ser reciclados.

O lixo úmido será coletado normalmente pelo caminhão que já faz a coleta. Já o caminhão para o lixo reciclável passará uma vez por semana em cada bairro. Os moradores irão receber um calendário informando o dia da coleta.

A população dos bairros que ainda não serão atendidos pela coleta seletiva terão a opção de encaminhar os recicláveis a cinco Ecopontos e LEV (Local de Entrega Voluntária), que serão instalados em supermercados, drogarias e postos de combustíveis. A prefeitura fechou uma parceria com a rede Comper, Carrefour, rede São Bento, Rede Pires e Sinpetro (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo e Lubrificantes de Mato Grosso do Sul). Nestes locais, também poderão ser entregues pilhas, lâmpadas e óleo.

Depois de coletado, o material reciclável - papel, papelão, metal, plástico e vidro – será levado a uma UPL (Unidade de Processamento de Lixo), onde será feita a triagem.

Atualmente, já estão em funcionamentos dois Ecopontos, um no bairro São Conrado e outro no Jardim Balsamo. O bairro Vida Nova também terá um ponto que será instalado nos próximos dias. No caso dos LEV serão 164 espalhados por toda da cidade.

Inicialmente, o projeto vai atender 120 bairros, num total de 32 mil moradias. A previsão da prefeitura é de que até o final de 2012 ele seja ampliado para toda a cidade.

Utilizando o humor, uma campanha que será veiculada na televisão, rádio, outdoors e internet vai orientar a população sobre a importância da reciclagem.

Se empilhadas, as 252 mil toneladas de lixo produzidas anualmente pela população de Campo Grande resultariam em 42 prédios de 18 andares.