ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, SÁBADO  17    CAMPO GRANDE 28º

Meio Ambiente

Prefeitura coloca 25 equipes nas ruas para reparos após temporal

Em dois dias choveu quase o dobro do esperado para o mês de janeiro.

Por Mirian Machado | 14/01/2021 14:58
Recuperação foi iniciada nesta quinta-feira (14) (Foto: Denilson Secreta/PMCG)
Recuperação foi iniciada nesta quinta-feira (14) (Foto: Denilson Secreta/PMCG)

A chuva que atingiu Campo Grande nos últimos dois dias, cerca de 400 milímetros, quase o dobro do previsto para todo o mês de janeiro deixou um rastro de estragos pela cidade. Com isso a Prefeitura, por meio da Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos) está com equipes nas ruas para recuperar os danos.

Conforme a Prefeitura,  25 equipes com  200 trabalhadores, 29 caminhões e 14 máquinas e equipamentos aproveitaram a trégua da chuva e estão empenhados trabalhando.

Um dos locais atingidos é a ponte sobre o Córrego Lagoa, na Avenida Panambi Vera sentido Avenida General Carlos Alberto Mendonça de Lima, onde a chuva levou parte do aterro de uma das cabeceiras. Engenheiros da Sisep, explicaram que a vazão da Lagoa aumentou e o nível do córrego subiu. Como há um poço no local, se formou um redemoinho ensopando o aterro fazendo que que se rompa.

Ali será feita uma barreira de pedra para segurar a força da água. Se o tempo continuar firme, o serviço deve ser encerrado em uma semana.

Enquanto isso, segundo orientação da Sisep, quem quiser entrar na pista centro-bairro da Avenida Lúdio Coelho e seguir em frente na direção dos bairros São Conrado e Santa Emília deve fazer o desvio pela Rua das Árvores. Quem vem pela Avenida General Carlos Alberto Mendonça, em direção à Panambi Vera, terá de entrar à direita na Lúdio Coelho e seguir até Avenida Conde de Boa Vista por onde alcançará a pista bairro centro da Lúdio Coelho e entrar na Panambi Vera.

Já no Portal Caiobá, Los Angeles, Nova Lima e Radialista, equipes estão fazendo a limpeza de bocas de lobo e das ruas. Nas Avenidas Conde da Boa Vista, Cachoeira do Campo, Manoel da Costa Lima e na Rua Caxambu esquina com a Lírios do Campo trechos do asfalto que foram danificados pela pressão da enxurrada que extravasou da drenagem serão recuperados ainda esta semana.

A cidade tem aproximadamente 80 mil bocas de lobo que passam por manutenção periódica. O descarte irregular de lixo e a conexão clandestina de água servida à drenagem reduz a capacidade de captação e escoamento da estrutura.

Segundo Rudi Fiorese, secretário de infraestrutura, a maioria das regiões mais afetadas pelas chuvas são bairros onde o lençol freático é elevado, o que dificulta a  capacidade de absorção da enxurrada. A solução do problema depende de alto investimento em reforço da drenagem com a construção de bacias de contenção e barragens nas principais bacias hidrográficas, previstas no plano municipal de drenagem.

Todas as frentes de pavimentação lançadas pela atual gestão têm estrutura completa de drenagem e onde há necessidade, são construídos piscinões. Este tipo de intervenção está sendo feito no Nova Campo Grande, por exemplo, uma das regiões mais críticas da cidade.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário