ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUARTA  28    CAMPO GRANDE 20º

Meio Ambiente

Seis homens são autuados e multados por pesca predatória no rio Dourados

Por Liana Feitosa | 05/03/2015 11:22
Se condenados, os infratores podem podem pegar pena de um a três anos de detenção. (Foto: Divulgação)
Se condenados, os infratores podem podem pegar pena de um a três anos de detenção. (Foto: Divulgação)

Seis pessoas foram autuadas por prática de pesca ilegal no rio Dourados, na região do Distrito de Ithaum, em Dourados, a 233 quilômetros de Campo Grande. Policiais Militares Ambientais abordaram as pessoas durante fiscalização de prevenção. Elas estavam em um acampamento praticando pesca ilegal.

Ao chegar no acampamento, a PMA surpreendeu um pescador, de 49 anos, que utilizava motosserra sem documentação para realizar a limpeza do acampamento.

Também foram encontradas tarrafas de pesca e anzóis de galho, que são petrechos proibidos. A motosserra e o material de pesca foram apreendidos. O infrator foi autuado administrativamente e multado em R$ 1.000 pelo uso do equipamento ilegal, além de R$ 700 pela prática de pesca predatória.

Outro pescador, de 53 anos, havia capturado um peixe da espécie dourado abaixo do tamanho mínimo permitido. O peixe foi apreendido e o infrator foi autuado administrativamente e multado em R$ 700.

Os dois infratores são residentes no Distrito de Itahum e assumiram o crime de pesca predatória. Ambos receberam voz de prisão e foram conduzidos à delegacia de Polícia Civil de Dourados, onde foram autuados em flagrante, mas foram liberados após pagar fiança.

Se condenados, podem pegar pena de um a três anos de detenção. Também foram encontrados com eles um barco, um motor de popa, duas tarrafas, 91 anzóis de galho e dois molinetes, tudo foi apreendido.

Outros quatro pescadores, moradores de Auriflama, interior de São Paulo, foram autuados por pescar sem licença. Com eles foram apreendidos dois barcos, dois motores de popa e quatro molinetes. Cada autuado foi multado em R$ 300.

Segundo a PMA, a Pesca sem licença não é crime ambiental, mas trata-se de infração administrativa. Se pagarem a multa, os infratores podem ter acesso novamente ao material apreendido.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário