A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

02/12/2017 10:21

"Sou soldado do partido", afirma Puccinelli na chegada a convenção

Carregado por militantes, ex-governador confirma possibilidade de candidatura à eleição do ano que vem

Mayara Bueno e Humberto Marques
Ex-governador André Puccinelli ao chegar na convenção do PMDB. (Foto: André Bittar).Ex-governador André Puccinelli ao chegar na convenção do PMDB. (Foto: André Bittar).

Carregado por militantes do PMDB, André Puccinelli chegou na convenção dos peemedebistas com o discurso de que é soldado e um dos nomes do partido para eleição de 2018. A definição sobre quem será candidato, no entanto, sai no começo do ano que vem, afirma.

A convenção que ocorre neste sábado (2) elege Puccinelli como presidente regional da legenda.

André agradeceu ao deputado estadual, Junior Mochi (PMDB), por seu empenho em buscar unidade em torno de seu nome como presidente. Afirmou que sente ter "amigas e amigos verdadeiros" dentro da sigla, não apenas companheiros.

Também admitiu que pode ser candidato ao governo do Estado do PMDB nas eleições de 2018. "Sou soldado do partido. Não sou o único (nome para eventual candidatura)". Para ele, dentro da legenda, tem voz do presidente ao militante.

André em entrevista durante convenção neste sábado. (Foto: André Bittar).André em entrevista durante convenção neste sábado. (Foto: André Bittar).

Também parte do processo de reforma interna, o ex-governador lembrou que em 19 de dezembro o nome da sigla retorna para 'MDB' (Movimento Democrático Brasileiro), forma de "resgatar às origens".

O partido surgiu em 1965, como oposição à Arena. Em 1966, se tornou PMDB.

Negou a acusação de que chefiaria esquema de propina entre o governo e JBS, quando questionado. "Não é verdade. Confio na justiça dos homens e de Deus", disse. Puccinelli foi preso na 5ª fase da Operação Lama Asfáltica, em novembro deste ano.

Acompanham a convenção os deputados estaduais Mochi, Antonieta Amorim, Márcio Fernandes, Renato Câmara, Paulo Siufi, Eduardo Rocha, além dos senadores Simone Tebet e Waldemir Moka e o deputado federal, Carlos Marun. Todos são do PMDB.



Quem liga pra ética e corrupção?
 
Erasmo Lima Pinho Jr. em 02/12/2017 19:34:35
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions