A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

26/08/2013 11:32

Almi diz que PT precisa de Bernal, mas ainda não há acordo para apoio a Delcídio

Ângela Kempfer e Leonardo Rocha

A possibilidade de Reinaldo Azambuja (PSDB) disputar o governo do Estado em 2014 complica as negociações entre petistas e o prefeito Alcides Bernal.

Segundo o deputado estadual Cabo Almi (PT), apesar dos petistas ocuparem duas secretarias na administração municipal e o partido ter 3 vereadores na base de sustentação, não há um avanço significativo nas conversas sobre apoio ao pré-candidato do PT, o senador Delcídio do Amaral.

“Precisamos que isso (acordo) ocorra, mas ainda não houve entendimento”, comenta. O deputado lembra que o “PT não pode obrigar Bernal a apoiar quem quer que seja”, mas di z que o prefeito “vai ter de decidir logo se fica com Delcídio ou Azambuja.”

Assim como o petista, o tucano também apoiou Alcides Bernal no segundo turno da campanha para prefeitura de Campo Grande, contra o candidato do PMDB.

Almi faz o discurso do companheiro. Garante que agora a administração do PP passa a deslanchar. “O começo é sempre turbulento, mas depois dos 6 meses tem de engrenar”, avalia.

Ele comenta que os problemas maiores ocorrem na relação com legislativo, mas garante que “mesmo assim, a população continua com ele...Considera que o Bernal desbancou o último grupo político do PMDB e que essas ações são para prejudicar o prefeito”.

O deputado petista lembra de águas passadas, mas que ainda hoje geram prejuízos a administração, por falta de “diplomacia, erros de articulação e falta humildade de Bernal”.

Segundo ele, o prefeito não conseguiu construir a maioria porque deveria ter conquistado os vereadores com tato. “Deveria ter feito presidente da Câmara, para que seus interesses fossem priorizados. Agora ele vai precisa ter 15 vereadores”, sentencia.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions