A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

27/01/2011 18:07

André desconversa sobre cortes, mas diz que não quer desperdícios

Angela Kempfer e Aline dos Santos
Governador reuniu todos os secretários no Palácio Popular da Cultura. Governador reuniu todos os secretários no Palácio Popular da Cultura.

Sobre as previsões do secretário de Fazenda de Mato Grosso do Sul, Sérgio Lorenzetto, o governador André Puccinelli (PMDB) desconversou e não respondeu se haverá cortes de custeio neste início de segundo mandato. “Cortar gasto? Quem disse isso?”, ironizou.

Antes de entrar para a reunião com todo o secretariado, realizada neste momento no Palácio Popular da Cultura, ele falou em meias palavras sobre o assunto. “Não quero cortes, mas também não quero desperdícios. Vou recomendar para não haver desperdício”, comentou apenas.

Já Lorenzetto disse que deve haver redução na verba destinada ao custeio da máquina estadual, para cumprir metas do Tesouro Nacional.

Segundo Puccinelli, o encontro de hoje terá 8 tópicos. Ele não detalhou quais, mas garantiu que também que servirá para desejar um bom ano aos secretários, agradecer, e colocar desafios. “no primeiro mandato tudo era para ontem. Agora, eles estão cobra, e tudo será para anteontem” brincou.

O governador já marcou uma segunda reunião para o dia 14 de fevereiro, quando o 1º escalão terá de apresentar “tarefa de casa”, com metas a cumprir.

Ele comparou o momento aos procedimentos médicos. Disse que fará haverá diagnóstico, prognóstico, tratamento e resultados.

Sobre a possibilidade de contingência de verbas do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), Puccinelli diz estar tranqüilo. “Projetos do MS Forte estão todos garantidos. Se houver corte do PAC isso só vai tornar as obras um pouco mais lentas”.

Secretários chegam para reunião na governadoria.Secretários chegam para reunião na governadoria.


Se me permitem, vou dar um "pitaco",... que se corte esses paraditas que estão no poder nas secretarias, que ganham muito e muitas vezes nem comparecem no expediemte. Principalmente esses que são colocados lá por apadrinhamento, que ganham acima de R$ 4 mil. ...
 
Edwardo B. em 28/01/2011 12:56:17
Sugiro que uma forma de otimizar os gastos do Estado, seria o de voltar o horário de trabalho dos privilegiados funcionários do Parque dos Poderes que trabalham apenas das 7:30 às 13:30, para o expediente normal, como todos os demais trabalhadores do Estado, ou então, fazer o pagamento proporcional. Outra medida de economia seria a implantação de um relógio de ponto eletrônico, com reconhecimento digital (para evitar fraudes ), em todas as repartições públicas do Estado, principalmente no Parque dos Poderes.
 
Paulo Márcio Vieira da Silva em 28/01/2011 07:04:53
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions