A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

24/06/2013 15:51

Após protesto, Dilma sugere corrupção como crime hediondo e plebiscito

Ângela Kempfer

Pressionada por manifestações em todo País nas últimas semanas, a presidente Dilma Roussef apresentou hoje aos governadores e prefeitos de capitais brasileiras algumas propostas e várias medidas para atender reivindicações apresentadas durante os protestos e acabar de vez com o levante popular nas ruas.

”Meu governo não vai transigir na manutenção da lei e da ordem, coibindo a ação de vândalos e arruaceiros. Reafirmo meu compromisso de ajudá-los. Mas quero repetir principalmente que meu governo está ouvindo as vozes democráticas. É preciso saber escutar a voz das ruas. É preciso que todos, sem exceção, entenda esses sinais com humildade e acerto”, disse de saída.

Ela abriu a reunião há pouco sugerindo 5 pactos e um plebiscito popular para consultar a opinião dos brasileiros sobre a necessidade de uma Constituinte especifica para reforma política “que o País tanto necessita”, justificou.

O primeiro pacto sugerido é pela estabilidade fiscal, pela responsabilidade de quem governa com os gastos públicos.

Depois a presidente pediu a priorização do combate à corrupção de uma forma mais contundente. Nesse caminho, Dilma coloca como iniciativa fundamental a mudança na legislação para que corrupção seja classificada como dolosa e crime hediondo, com punições mais severas.

Ela cobrou dos gestores públicos investimento em transparência. “Todos os poderes devem se esforçar para implantar acesso à informação”, com os portais da transparência efetivamente abertos, com todas as informações sobre a administração, o que segundo a presidente é mais um instrumentos de combate à corrupção.

Outro pacto proposto é acelerar investimentos já contratados em hospitais, Unidades Básicas de Saúde e para ampliar a adesão dos hospitais filantrópicos em projeto que troca dividas pela ampliação nos atendimentos.

Dilma também cobrou incentivo à contratação de médicos e defendeu o desejo do Governo Federal de chamar estrangeiros para trabalhar com exclusividade no SUS. “Sei que vamos enfrentar um forte debate”, lembrou, ao garantir que a proposta não deve ser vista como medida hostil pelos profissionais da Medicina.

“Mas é emergencial, tento em vista grande necessidade de encontrar médicos em números suficientes”, argumentou ao citar números para comprovar que o Brasil é um dos países que menos têm profissionais de fora em exercício, apenas 1,79%, contra mais de 33% na Inglaterra, por exemplo.

Também foi anunciada a ampliação em 12 mil vagas nos cursos de Medicina e 11 mil de residência, até 2017.

Em seguida, a presidente exigiu salto de qualidade do transporte coletivo, a reivindicação que deu origem a todas as manifestações no Brasil.

Dilma quer o compromisso de mais corredores de ônibus e metrôs, além de trens de superfície. “O Governo Federal já desonerou impostos para reduzir o preço do transporte, também desonerou IPI para compra de ônibus, PIs e Cofins da energia e óleo diesel dos ônibus”, citou Dilma para mostrar que agora é a hora de municípios e estados também cortarem tributos para colaborar com um valor ainda mais acessível.

A presidente anunciou R$ 50 bilhões para novos investimentos em obras de mobilidade urbana e a criação do Conselho Nacional do Transporte Público e cobrou o mesmo dos governadores e prefeitos.

O último pacto proposto foi pela Educação. A ideia é destinar 100% dos royalties do petróleo  e 50% do pré-sal para investimentos no setor.

“Nenhuma nação se desenvolve sem educação em tempo integral, creches, cursos técnicos, universidades e bons salários para os educadores”, lembrou.



Primeiramente, a corrupção é algo que está enraizada em nossa sociedade, os governos acabam se utilizando do meio para obter o fim desejado. Almejando o poder e posteriormente o enriquecimento ilícito, pois as companhas eleitorais são milionárias, isso é um dos fatores que contribuem para a corrupção. Acredito que somente com regimes análogos aos militares poderão remodelar o sistema politico, a hierarquia, disciplina, trabalho e educação são as ferramentas que podem mudar nossa sociedade, os jovens de hoje serão nossos governantes do amanhã. Educação até o colegial profissionalizante no período integral das 07:00hs ás 18:00, busca e entrega nas residencias, com atendimento médico, odontológico, esporte e capacitação profissional, toda produção das escolas deve ser produzida pelos alunos.
 
Delcimar da Silva Holsback em 25/06/2013 10:41:19
Pelos comentários você tira as conclusões; há até alguém que elogia um FHC. Eu sou um trabalhador, que estudei e nunca usei político para meu beneficio. Antes de 2000 eu não podia planejar nada, era juro a 27% , dólar 4,25, tudo que subia e nem uma TV vc podia comprar. Só os apaixonados que não admitem.
 
luiz alves em 25/06/2013 10:19:37
Chegou a hora da transformação.Tudo no universo, pela lei da lógica converge para a evolução. Pode demorar, mas acontece. Estávamos como o vulcão adormecido ,dopado pelas promessas que nunca chegaram, até que "despertamos para atividade da justiça", do que nos é de direito.Trabalhamos, pagamos impostos, sofremos sentindo na pele o abandono da saúde com nossos familiares aguardando como miseráveis nas macas pelos corredores dos hospitais desassistidos. Mas Deus é justo. Esse movimento (e que seja pacífico), é o nosso grito sofrido, o passe para o momento histórico na transformação da humanidade para um mundo melhor. Que possamos continuar reivindicando com a sensatez da paz os nossos direitos, sem os abusos da violência e dos "oportunistas" que aproveitam para saquear e destruir. Que Deus abençoe os justos!
 
Solange Pereira em 25/06/2013 09:57:23
Quero so ver essa tal educação, pois estou esperando uma vaga na creche pra minha filha desde o ano passado.
 
DIANA GARCIA ECHEVERRIA em 25/06/2013 09:50:53
Quem está elogiando o "investimento" na educação é porque não trabalha em escola, o que adianta ter dinheiro, bons materiais, escolas "bonitinhas" e ter salas de educação infantil com 30 alunos e de séries iniciais com 40! Como se alfabetiza uma criança com outras 28 ou mais de 5 anos de idade em uma sala e que é pior muitas vezes temos alunos com necessidades especiais em salas lotadas e 1 único professor para dar conta, atenção e ensinar em uma condição dessas? Investimento é fundamental, mas uma reestruturação seria melhor ainda.
 
Anna Gonçalves em 25/06/2013 08:32:10
É isso aí, mas só que o povo esquece logo todas as propostas que o governo promete. Isso é Brasil!!!!!!!...........
 
edison Labes Filho em 25/06/2013 08:19:35
Quem assistiu ao Manhattan Connection deste último domingo viu o brilhante comentário do Diogo Briso Mainardi sobre a presindenTE Dilma. Segundo ele (e também é meu pensamento) ela, assim como senhor Bernal (o radialista do interiorrr que virou prefeito de uma capital) sequer sabe a que vieram. No caso da Dilma, foi uma escolha "tampão" e, embora seja economista de formação, não tem preparo para o trato com questões internacionais. O Brasil esta caindo em descrédito lá fora; já virou piada. Ontem no Roda Viva o ex presidente Fernando Henrique Cardoso disse algo muito verdadeiro: é preciso um pacto supra partidário para não permitir que o Brasil entre no atoleiro se aproxima.
 
Adilson Neruda Neto em 25/06/2013 08:10:41
Esse último pacto pela Educação é um tapa na cara. Como 100% dos recursos? A quem nossa excelentíssima presidente pensa que engana? Como lidar com o Legislativo e, incluir essa gama de novos gastos e redirecionamento de recursos na Lei Orçamentária? Criando mais 20 ministérios? Mas, o que mais me envergonha, é o fato de que é necessário haver quase que o caos absoluto em alguns lugares do país, para que nossos representantes eleitos façam o que foram eleitos para fazer. Pelo menos, a nação se deu conta de que o parágrafo único do art. 1º da Constituição (o que diz todo poder emana do povo...), é de fato uma ferramenta e, não apenas palavras em um pedaço de papel.
 
Stephano Caetano em 25/06/2013 00:16:03
Constituinte, salvo melhor juízo, é uma ideia sorrateira e prefacial para transformar o Brasil em Venezuela. Aí teremos, talvez, a BRASILZUELA! Sinceramente, penso que basta compromisso público e político para cumprir com o princípio da moralidade previsto no Art. 37 da Constituição Federal - A Constituição Cidadã). O foco da reforma esperada, segundo penso, não é do texto constitucional, mas da conduta política. O resto é prosopopéia!
 
tulio cicero gandra ribeiro em 24/06/2013 21:27:43
É isso aí Dilma, um país não gera desenvolvimento sem o principal: educação de qualidade, é disso que o país precisa para começar a cortar o mal pela raiz!! Estamos todos juntos nessa luta!!

 
Helena Cristaldo em 24/06/2013 17:08:58
Espero que essas medidas saem do papel para pratica, e que as manifestações não tenha sido em vão, o povo precisa acompanhar e cobrar essas promessas...
 
Ulisses Silva em 24/06/2013 16:58:36
Até que enfim, Dilma está liderando o processo. É para isso que ela foi eleita desde o inicio. Além de ser o mais alto cargo da Adm. Publica o(a) presidente é chefe da Nação, precisa olhar para ao futuro do país. Se conseguir implementar essas medidas caberá a ela lugar honroso na historia do Brasil. Se ficar no blá-blá-blá, pobre de nós brasileiros...
 
joao máximo pimenta em 24/06/2013 16:52:42
Reformas e Pactos Políticos são sempre as mesmas palavras usadas no Brasil pelos governantes, quem utiliza dessas duas palavras constantemente, o conselho é que saia de perto, isso é discurso de mandatário que NÃO sabe exercer o mandato com autoridade e de quem tenta postergar ao máximo. O povo não deve aceitar esse discurso da mesmice.

 
ireomar Souza Ferreira em 24/06/2013 16:36:50
Tinha que ser feita uma reforma que proibisse as re-eleições no Legislativo, seria uma forma de impedir que políticos façam do mandato uma profissão!
Teria também rever os salários e os privilégios dos políticos e do judiciário!
 
Alex Moraes em 24/06/2013 16:13:03
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions