A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

20/03/2015 11:48

Assembleia espera que Justiça reveja decisão sobre agentes tributários

Após liminar, deputados não podem votar projeto que transforma nomenclatura da classe

Leonardo Rocha
Assembleia recorreu da decisão e espera que projeto possa ser votado (Foto: Roberto Higa/ALMS)Assembleia recorreu da decisão e espera que projeto possa ser votado (Foto: Roberto Higa/ALMS)

O presidente da Assembleia Legislativa, o deputado Junior Mochi (PMDB), confirmou que a Casa de Leis recorreu da liminar concedida pelo desembargador Dorival Renato Pavan, que proibia a votação do projeto que transforma a nomenclatura dos agentes tributários estaduais, a pedido dos fiscais de renda, que se sentem prejudicados com a aprovação desta medida.

Mochi espera que a Justiça reveja esta decisão anterior, para que o projeto tenha tramitação normal na Assembleia e assim se chegue a uma articulação para um acordo entre as partes, ou que seja apreciado pelos parlamentares. “A melhor solução era que os agentes tributários e fiscais de renda conversassem e conseguissem entrar em acordo”, disse ele.

O peemedebista inclusive ponderou que se não tiver este “consenso” entre as classes, a situação mais previsível é que mesmo depois da votação no legislativo, a categoria que se sentir prejudicada irá entrar com ação na justiça. “Sem acordo, dificilmente a questão não se judicializa”.

Posição – Esta liminar concedida no dia 10 de março, que proíbe a votação da proposta, foi recebida com compreensão e críticas pelos deputados estaduais, que se dividiram em alertar que o Judiciário não deveria “interferir”, assim como aqueles que disseram que o desembargador preferiu a “cautela” e “cuidado” sobre o tema proposto.

O deputado Amarildo Cruz (PT), defensor da proposta dos agentes tributários, ressaltou que os parlamentares teriam que ter toda liberdade para fazer a apreciação da matéria e que caso uma categoria se sentisse prejudicada com o resultado da votação, poderia depois acionar a Justiça, e correr atrás de seus direitos, mas não antes da decisão do legislativo.

Já Marquinhos Trad (PMDB) ponderou que o desembargador resolveu conceder “liminar” aos fiscais de renda, justamente porque este tema está em discussão no Supremo Tribunal Federal, em caso semelhante, em outro estado da federação. “Ele teve cautela e prudência, em justificar que é melhor esperar a decisão do STF, para depois deixar que seja votado o projeto”.

Projeto – Nesta proposta que transforma a nomenclatura dos agentes tributários estaduais, para fiscais de tributos estaduais de mercadoria e trânsito, a polêmica acontece porque os fiscais de renda alegam que com a mudança, pode ser pedido no futuro equiparação funcional e até salarial dos agentes tributários.

O presidente do Sindifisca (Sindicato dos Fiscais de Renda de Mato Grosso do Sul), Cloves Silva, ressaltou que a proposta não respeita o princípio de concurso público e ainda gera instabilidade nos fiscais de renda, que se sentiriam desestimulados.

Já o presidente do Sindate (Sindicato dos Agentes Tributários), Marco Aurélio Cavalheiro, alega que estes argumentos não são verídicos e que não há a intenção dos agentes tributários de realizar a função dos fiscais. “As atribuições serão as mesmas, se trata apenas uma questão de vaidade deles”.

Marun ainda quer votar relatório da JBS antes de posse no ministério
Na véspera de ser empossado como ministro da Secretaria de Governo, o deputado Carlos Marun (PMDB-MS), relator da Comissão Parlamentar Mista de Inqué...
Senado aprova R$ 1,9 bi a estados para compensar desoneração de exportações
Após suspender a sessão do Congresso Nacional, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), retomou os trabalhos do plenário da Casa com o obj...
Temer discutirá data de votação da reforma da Previdência nesta quinta
O anúncio do líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), de que a votação da proposta de reforma da Previdência ficará para fevereiro causou r...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions