A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 22 de Setembro de 2018

20/10/2017 12:21

Assomasul vê excesso de multas do TCE e quer medida para reverter situação

Presidente disse que muitas penalidades são injustas e afirma que vai convocar uma assembleia para os prefeitos decidirem medida

Mayara Bueno
Pedro Caravina, presidente da Assomasul, durante entrevista sobre o repasse de ICMS para os municípios. (Foto: Divulgação/Assomasul)Pedro Caravina, presidente da Assomasul, durante entrevista sobre o repasse de ICMS para os municípios. (Foto: Divulgação/Assomasul)

A Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul) classificou como "enxurrada de multas" a aplicação de penalidades à prefeituras por parte do TCE (Tribunal de Contas Estadual).

O presidente da Associação, que é prefeito de Bataguassu, Pedro Caravina, disse que, muitas vezes, as multas são injustas e excessivas. Citou casos de penalidades que ocorrem por atraso no envio ou publicação de documentos por parte das prefeituras.

Como comparação, disse que juízes, promotores, delegados e defensores, "em razão de acúmulo de trabalho" frequentemente atrasam "decisões importantes, o que gera prejuízos às partes. "Nem por isso recebem multas".

De acordo com Caravina, a própria Corte Fiscal demora anos para julgar a prestação de contas e processos licitatórios, no entanto, não sofrem qualquer penalidade. Diante da insatisfação, o presidente disse que a entidade vai convocar uma assembleia entre prefeitos para que eles tomem medida para reverter a situação.

O prefeito citou multas que chegam ao valor de R$ 3,6 mil por processo. "“Existem prefeitos de segundo mandado que devem mais de R$ 100.000,00 em multas”, pontuou.

O dirigente afirma que valores arrecadados com as multas, que deveriam ser destinados ao governo do Estado, são revertidos totalmente ao próprio Tribunal de Contas.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions