ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, SEGUNDA  25    CAMPO GRANDE 25º

Política

Ato da oposição visa desestabilizar o governo de Bernal, afirma Marcos Alex

Por Jéssica Benitez | 10/04/2013 18:03

A possibilidade de cassação do prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), colocada por alguns vereadores da oposição, é vista pelo líder do gestor na Câmara Municipal, vereador Marcos Alex (PT), como uma forma desestabilizar o governo progressista. Para o petista, o bloco opositor não aceitou o resultado da eleição do ano passado e, por isso, vem tomando atitudes para prejudicar Bernal.

“A oposição ainda não engoliu o resultado obtido nas urnas. Fizeram uma campanha pesada, tentaram cassar o registro de candidatura dele (Bernal), mas mesmo assim perderam a eleição. Agora querem voltar ao poder de qualquer jeito”, avaliou o líder.

Para Alex existe tentativa de praticar golpe contra o prefeito. “Essas declarações (de cassar Bernal) não passam de tentativa de projetar publicamente o que está no inconsciente de quem fala, ou seja, a vontade de cassar e pronto”, opinou.

A declaração de Alex não agradou ao vereador Airton Saraiva. “Dizer isso é uma irresponsabilidade. Estamos fazendo nosso trabalho de fiscalizar e se tiver indícios, dados contundentes aí sim (pode haver cassação)”, explicou. O democrata garante que a oposição não quer derrubar o prefeito, porém a Câmara só pode apoiar atitudes corretas e tomar providências em relação às ações errôneas.

Na visão do presidente da Casa de Leis, vereador Mario Cesar (PMDB), a fiscalização rigorosa por parte dos vereadores não está sendo realizada para desestabilizar o governo de Bernal, mas sim por conta dos próprios erros do prefeito. Ele listou uma série de atitudes questionáveis tomadas pelo progressista nestes 100 primeiros dias de gestão.

“Compra de apartamento, decreto emergencial, não pagar por alguns serviços, combustível e tapa-buraco com contratos sem licitação, ausência de secretário na Sedesc (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Turismo e do Agronegócio), falta de alimentos nos Ceinfs, não somos nós que criamos isso”, relatou o presidente.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário