ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SÁBADO  21    CAMPO GRANDE 17º

Política

Autora da lei contra violência doméstica, deputada não quer esquecimento do tema

No ano retrasado, 39 mulheres perderam suas vidas e no ano passado, foram 34 vítimas de feminicídio

Por Gabriela Couto | 26/01/2022 10:49
Deputada estadual Mara Caseiro (PSDB) mostrando lei do sinal vermelho. (Foto: Victor Chileno)
Deputada estadual Mara Caseiro (PSDB) mostrando lei do sinal vermelho. (Foto: Victor Chileno)

Apesar da queda no número de feminicídios em Mato Grosso do Sul, em 2021, a deputada estadual Mara Caseiro (PSDB) destaca a necessidade de continuar combatendo todo tipo de violência contra as mulheres. Única mulher na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, ela não quer deixar o tema de lado em seu último ano de mandato.

Autora de diversas leis relacionadas ao tema, como a implantação do código Sinal Vermelho e a de enfrentamento ao assédio sexual e moral contra mulheres em ambiente de trabalho, a deputada também é coautora do projeto de lei que cria aplicativo de socorro às vítimas de violência doméstica.

“É muito bom sabermos que houve a redução desse crime horrível que é o feminicídio. Mas a nossa luta é para que sejam extintos esse tipo de crime, bem como todos os atos violentos e assédio contra a mulher. Tenho me engajado nessa luta, que é de todos nós. Graças às leis criadas e ao trabalho do Governo do Estado, com o aumento das ações policiais, bem como a realização de campanhas e esclarecimentos à população, tivemos uma queda de 12,8% neste tipo de crime”, disse a deputada.

Conforme levantamento estatístico desenvolvido pela Polícia Civil, em comparação a 2020, ocorreram cinco feminicídios a menos em 2021. No ano retrasado, 39 mulheres perderam suas vidas e no ano passado, foi 34 o número de mulheres mortas por razões de gênero.

“Apesar dessa diminuição, começamos o ano de 2022 com dois tristes casos de feminicídio. É por esse motivo, então, que eu ressalto a necessidade de continuarmos atuando na defesa dos direitos das mulheres e no combate a todo e qualquer tipo de violência”, falou Mara Caseiro.

Casos 2022 -  Em janeiro, duas mulheres foram vítimas de feminicídio no interior do Estado. A primeira a perder sua vida foi Rosiclei Paredes, 39 anos, que estava desaparecida desde o dia 19 em Bandeirantes. No domingo (23), Marta Gouveia dos Santos, 37 anos, foi morta ao sair para pedalar em Nova Andradina. Os dois casos chamaram a atenção pela violência cometida contra as vítimas.

Hoje, a Polícia Civil prendeu Eduardo Gomes Rodrigues, como suposto autor da morte de Rosiclei. O corpo dela foi encontrado em uma fossa no quintal da casa.

Já o assassino de Marta ainda não foi encontrado. Com sinais de violência, seu corpo foi encontrado horas depois dela ter saído para pedalar. O caso está sendo investigado pela polícia.

Nos siga no Google Notícias