ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, DOMINGO  17    CAMPO GRANDE 27º

Política

Bernal já tem primeiro nome para compor o “novo” secretariado

Por Zemil Rocha | 07/12/2013 13:24
Líder do prefeito prevê nomeações "por etapas" na administração de Bernal (Foto: Paulo Francis)
Líder do prefeito prevê nomeações "por etapas" na administração de Bernal (Foto: Paulo Francis)

O prefeito Alcides Bernal (PP) evita falar em prazos para a reforma política, mas admite que a “reforma política” deve começar na semana que vem com nomeações para o novo secretariado. Pelo menos um nome já estaria definido, dependendo apenas de ser consultado, já que está viajando: Dirceu Peter, ex-presidente do Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB).

Segundo o líder do prefeito na Câmara, vereador Marcos Alex (PT), a participação de Dirceu Peter na administração municipal seria uma indicação do PDT. “Mas falta a gente consultá-lo, já que está viajando”, informou o vereador petista, observando que esse é um dos “detalhes” que faltam ser definidos antes do anúncio da reforma política.

E essa reforma, conforme Alex, deve começar na semana que vem, mas “não será feita de uma só vez”. A construção se dá “paulatinamente”, passando por acordos fechados com partidos e vereadores objetivando a governabilidade. “Não é tudo ao mesmo tempo, pode ser por etapas”, apontou.

Marcos Alex admite que as negociações com partidos e vereadores têm a finalidade de construir um “governo de coalizão” que dê possibilidade de a atual gestão ter maioria de pelo menos 15 vereadores na Câmara de Campo Grande. “Condição objetiva para acordo político da gestão é a participação no governo, de maneira republicana”, afirmou.

Além dos oito vereadores que já integram a base de Bernal, Alex há conversações avançadas para que também passem a compô-la Paulo Pedra (PDT), Paulo Siufi (PMDB), Jamal Salem (PR), Edson Schimabukuru (PTB), Carlão (PSB), Rose Modesto (PSDB) e Valdecy Chocolate (PP). “Chocolate está bem próximo de voltar à base”, garantiu o petista. “Siufi está aderindo à tase da governabilidade e o Jamal também”, acrescentou.

Questionado se tudo passa mesmo pela ocupação de espaço político na administração municipal, Marcos Alex respondeu: “É nomeação mesmo. Essa é a metodologia de todos os governos para ter maioria legislativa. Não vamos reinventar a roda”.

Para Alex, a base tende a ter até mais do que 15 vereadores. “Quando você consegue uma base de 15 vereadores, acaba vindo mais dois ou três, porque abre uma sinalização para os outros”, argumentou.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário