A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

15/05/2009 09:03

Câmara cheia produz encontros com lideranças esquecidas

Redação

Dois eventos correm simultaneamente na Câmara de Campo Grande, motivo de encontro certo entre lideranças políticas importantes no Estado, e conseqüentes discussões e declarações sobre a disputa em 2010.

Em um dos auditórios, o PTB comemora a filiação da família Pedrossian em peso. O patriarca, ex-governador Pedro Pedrossian trouxe filho, filha e esposa para o partido. No outro espaço, veradores discutem a PEC que altera o número de vagas nas câmaras.

Amparado por uma muleta e com passos lentos, apresentando dificuldades no caminhar, Pedrossian abre o sorriso a todo momento, entusiasmado com a nova fase que começa agora.

O objetivo é lançar o filho Pepê, ex-deputado federal, como candidato ao governo no próximo, mas a presença do ex-governador no PTB é recebida como força importante. "Ele é engenheiro e vai ajudar na construção do partido", diz o presidente nacional da legenda, ex-deputado federal Roberto Jefferson.

Sobre Pepê, ele diz que se o filho de Pedrossian aceitar, "será a terceira via" em 2010.

Entre as antigas lideranças, apagadas há anos na política sul-mato-grossense, o ex-presidente da Assembléia, Walter Carneiro (PTB), também compareceu ao encontro, mas Levy Dias, esperado para a filiação, não compareceu.

Na lista de convidados, o senador Delcídio Amaral (PT), que ao encontrar Roberto Jefferson foi saldado como "amigão", apesar do passado da CPI dos Correios, presidida pelo petista, que teve como uma das conseqüências o afastamento do petebista.

Em 2003 o ex-prefeito de Campo Grande, Levy Dias, chegou a ensaiar uma dobradinha com o ex-governador Pedrossian, para disputar a sucessão de puccinelli na prefeitura.

Agora a intenção do PTB é lançar Pepê para o governo e Levy Dias como deputado federal, se cogita até um nome do PPS para formar chapa e disputar o Senado.

Reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, diz Meirelles
A reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, de acordo com o ministro da Fazenda Henrique Meirelles. A declaração foi dada na noite de...
Quanto mais reforma demorar, mais dura será correção, diz ministro
Caso o governo não consiga aprovar a reforma da Previdência ainda este ano, conseguirá em 2018, disse hoje (11) o ministro do Planejamento, Dyogo Oli...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions