A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

21/05/2014 13:09

Câmara pode trocar horário de audiência para manter público até o final

Kleber Clajus
Mario estuda antecipar horário de audiência para evitar esvaziamento no final de audiência (Foto: Marcos Ermínio / Arquivo)Mario estuda antecipar horário de audiência para evitar esvaziamento no final de audiência (Foto: Marcos Ermínio / Arquivo)

A Câmara Municipal de Campo Grande pode alterar o horário das audiências públicas, destinadas a debater reivindicações dos bairros, para que lideranças comunitárias mantenham presença até o final. Nesta quarta-feira (21), metade dos presidentes de bairro foi embora antes de ouvir os representantes da prefeitura e legislativo.

“Talvez seja preciso marcar outro horário, como 8h30, para não ter problema com lideranças que tem seus afazeres como buscar os filhos na escola e fazer comida”, comentou o presidente da Casa de Leis, Mario Cesar (PMDB). Hoje as audiências iniciam às 9h e encerram por volta das 12h30.

O vereador Paulo Siufi (PMDB) chegou a criticar a ausência de líderes comunitários no término da audiência. Ele também ressaltou que os elogios, quando as obras são concretizadas, ficam restritos apenas a um vereador como se ele fosse “dono do bairro”. “Vereador não é dono representa apenas uma região, mas todos os bairros. O trabalho é realizado em conjunto”, disse o peemedebista.

Região do Lagoa – Hoje o foco da terceira audiência pública foi a região do Lagoa, onde residem 140 mil pessoas. Na pauta de reivindicações estiveram escolas, posto de saúde, Ceinf (Centro de Educação Infantil), praça, parque infantil, pista de skate e até piso para associação de moradores.

Para o presidente do Conselho Regional do Lagoa, Alexandre Pereira, apesar da drenagem e asfalto serem as principais reivindicações há também as que podem ser resolvidas de forma mais imediata. Como exemplo, ele citou a necessidade de um semáforo na Rua Pará com Nasri Siufi, no Bairro Caiobá, ciclovia e iluminação nas margens do Córrego Lagoa, continuação da praça da juventude e abrigos para ônibus.

“Já solicitamos uma escola na região que está elencada como prioridade no orçamento deste ano, mas também precisamos de um CRAS (Centro de Referência de Assistência Social)”, acrescentou Alexandre.

A audiência de hoje foi acompanhada pelos vereadores Gilmar da Cruz (PRB); Zeca do PT; Mário César (PMDB); Carla Stephanini (PMDB); Paulo Siufi (PMDB); Waldecy Batista Nunes (PP), o Chocolate; Chiquinho Telles (PSD); Otávio Trad (PtdoB); Carlos Augusto Borges (PSB), o Carlão; Edson Shimabukuro (PTB); Delei Pinheiro (PSD); e Paulo Pedra (PDT). Chegaram atrasados Thaís Helena (PT) e Ademir Vieira, o Coringa (PSD).
Na próxima quarta-feira (28), a região do Bandeira deve ser o foco de diálogo entre lideranças comunitárias, Executivo e Legislativo.

Governo do Estado investe R$ 9,2 milhões em infraestrutura em Caracol
Caracol vai receber mais de R$ 2,8 milhões em obras a serem executadas pelo Governo do Estado em parceria com a prefeitura e deputados federais e est...
Assembleia vota Orçamento de R$ 14,4 bilhões de 2018 na terça-feira
O Orçamento de R$ 14,4 bilhões do Governo de Mato Grosso do Sul para 2018 passará pela votação em segunda discussão na terça-feira (19) na Assembleia...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions