ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, SEGUNDA  17    CAMPO GRANDE 22º

Política

Câmara vota ampliação de zona urbana sob justificativa de suportar crescimento

Novos empreendimentos poderão ocupar faixa da zona rural para atividades até então urbanas

Por Caroline Maldonado | 30/04/2024 09:05
Vista aérea de Campo Grande, Capital de Mato Grosso do Sul (Foto: Arquivo/Campo Grande News)
Vista aérea de Campo Grande, Capital de Mato Grosso do Sul (Foto: Arquivo/Campo Grande News)

A Câmara Municipal de Campo Grande vota nesta terça-feira (30) projeto que altera a Lei n. 6.795/2022, que prevê mudança na ZEU (Zona de Expansão Urbana). Na prática, isso significa que serão criadas algumas regras para que novos empreendimentos possam ocupar faixa da zona rural com atividades consideradas urbanas, para o crescimento e desenvolvimento da cidade.

O projeto tira do texto original a necessidade de “contiguidade ao perímetro urbano" para empreendimentos, o que na prática significa que construções normalmente urbanas poderão ser feitas em áreas consideradas rurais hoje, ampliando o perímetro para esse tipo de empreendimento.

Essa alteração já está prevista no PDDUA (Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano Ambiental de Campo Grande), que foi amplamente discutido na gestão passada e obedece o Estatuto da Cidade, que reúne normas jurídicas relacionadas à questão da função social da propriedade.

Depois de aprovado pelos vereadores, o projeto volta para a prefeita Adriane Lopes (PP), que pode sancionar sem vetos ou vetar algumas alterações que venham a ser apresentadas pelos parlamentares. Em seguida, eles podem decidir se mantêm ou derrubam os vetos.

Diversas entidades da indústria da construção e habitação acompanham as discussões, dentre elas o Secovi (Sindicato da Habitação de Mato Grosso do Sul). O presidente do Secovi, Geraldo Paiva, explica que na legislação atual o menor lote rural é de 20.000 m².

“Há empreendimentos que não precisam desta quantidade de terra. Para se lotear uma área (lotes menores para as atividades residenciais, comerciais e industriais) na zona de expansão é necessário analisar os impactos e contribuir com a outorga”, esclarece Geraldo.

Regras - O projeto a ser votado hoje determina que o interessado em empreender na ZEU deverá elaborar e protocolar na Planurb (Agência Municipal de Meio Ambiente e Planejamento Urbano) o estudo do impacto de vizinhança.

O projeto prevê ainda que alteração do perímetro urbano deve ser analisada pelo CMDU (Conselho Municipal da Cidade) e encaminhada para o chefe do Executivo para que passe pela Câmara. O texto também define parâmetros para a TRA (Taxa de Relevância Anual).

A prefeita argumenta que o projeto de lei “demonstra a preocupação do Executivo Municipal na efetiva aplicabilidade da Lei Municipal 6.795/2022 e em democratizar a gestão da política do solo urbano, por intermédio da participação da sociedade civil organizada, conforme preconiza o Estatuto da Cidade”.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias