A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

15/01/2011 09:41

Campanha em Dourados deve deslanchar só na semana que vem

Fabiano Arruda

Eleição extemporânea está marcada para 6 de fevereiro na segunda maior cidade do Estado

O município de Dourados escolhe no próximo dia 6 de fevereiro, daqui a 22 dias, um novo prefeito para substituir Ari Artuzi, que renunciou após as denúncias da Operação Uragano, que colocaram em xeque a credibilidade do comando do Executivo do Legislativo em Dourados. A tão pouco tempo da votação, nem parece que a cidade está em meio a uma campanha eleitoral e esse clima só deve esquentar, mesmo, a partir do horário eleitoral, previsto para a próxima semana.

Por enquanto, apenas reuniões indicam que está havendo uma disputa eleitoral em Dourados.

Uma grande parte dessa falta de movimentação se explica pela burocracia. Só ontem foi liberado às coligações o CNPJ, que é obrigatório nos materiais da campanha. Apenas o vereador Elias Ishy (PT) não teve o CNPJ liberado. O pedido de candidatura dele não foi aceito pelo juiz Eduardo Machado. “A assessoria jurídica da minha campanha está cuidando do assunto. Continuamos esperando o CNPJ para produzir os materiais de campanha”, comentou.

O petista garante que os entraves não atrapalham sua campanha e realiza nesta sexta-feira à noite reunião de trabalho para um cronograma de ação. “Estamos fazendo uma campanha com a militância, no corpo a corpo”, afirmou. Ishy lançaria a campanha hoje na cidade, no entanto, contou que o ato deve ficar para a próxima semana.

Murilo Zauith apresenta suas propostas para o mandato-tampão em Dourados em reunião. (Foto: Divulgação)Murilo Zauith apresenta suas propostas para o mandato-tampão em Dourados em reunião. (Foto: Divulgação)

A força da TV- O candidato Murilo Zauith (DEM) acredita que o município entre no clima de campanha a partir da próxima quinta-feira, quando começa o horário eleitoral gratuito na televisão e rádio. Além disso, ele considera o processo mais enfraquecido, principalmente, porque não há a eleição para vereadores. “Esta é uma disputa solteira. Fica só nas mãos dos candidatos”, comentou.

Para o candidato do PSDC, Geraldo Salles, a partir de agora a disputa será uma corrida contra o tempo.” Vamos para o corpo a corpo, com reuniões nos bairros. Na segunda-feira nossa campanha estará nas ruas”.

Já Genival Antonio Valeretto (PMN) demonstrou alívio com liberação do CNPJ e disse que os eleitores de Dourados precisam do processo eleitoral nas ruas para conhecer cada candidato.

Concorrendo pelo PSOL, José de Araújo já mira seu discurso, que irá adotar a transparência na administração com uma das prioridades. “Moro em Dourados há 59 anos e chegou a hora da cidade ter a administração que merece”.

A eleição extemporânea acontece após o então prefeito Ari Artuzi e o vice Carlinhos Cantor renunciarem aos cargos em decorrência do escândalo político revelado pela operação Uragano, que desvendou esquema de fraude em licitações e pagamentos de propinas.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions