A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

29/11/2017 22:45

Candidatos tem até 20 de dezembro para sair do governo, diz Azambuja

Prazo se aplica somente aos cargos de deputado estadual e federal

Kleber Clajus
O deputado Beto Pereira e o governador Reinaldo Azambuja em evento no Rádio Clube Campo (Foto: Kleber Clajus)O deputado Beto Pereira e o governador Reinaldo Azambuja em evento no Rádio Clube Campo (Foto: Kleber Clajus)

Quem pretende se candidatar, conforme o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), deve informar seu interesse de deixar o governo até 20 de dezembro. Prazo foi estipulado para vagas proporcionais e substituições ocorrem no mais tardar em janeiro.

“Chamei todo mundo e demos prazo para que nos comuniquem até 20 de dezembro, porque isso é uma prerrogativa e vontade pessoal”, disse Azambuja, durante evento de abertura dos Jogos da Melhor Idade de Mato Grosso do Sul, no Rádio Clube Campo, em Campo Grande.

São classificados como proporcional os candidatos a deputado estadual e federal, enquanto a majoritária inclui governador, vice e duas vagas ao Senado, em disputa interna no PSDB.

“Proporcional acaba criando animosidades com os próprios deputados da base que podem se sentir preteridos porque o pretenso candidato pode estar se utilizando da estrutura [de governo]”, justificou o governador. “Até início do ano quem for candidato vai ser afastado”.

Indicados - Os secretários de Governo, Eduardo Riedel, e de Infraestrutura, Marcelo Miglioli, estão cotados para ir ao Congresso. Eles se reuniram com o governador e representantes do partido na semana passada. A estratégia, no entanto, consiste em mantê-los nos cargos até abril, prazo máximo imposto pela Justiça Eleitoral para que se desvinculem de suas funções.

Para o deputado estadual e presidente regional do PSDB, Beto Pereira, o processo continua sendo alinhado ao poucos. “É um ou outro”, esclareceu o também pré-candidato a deputado federal, deixando claro que interessados tem a frente “uma questão de foro íntimo”.

Mesmo que hajam pretensões políticas no primeiro escalão, o discurso quase que ensaiado tem sido de que tudo depende da vontade do governador e pesquisas. Saída confirmada até o momento é do secretário de Justiça e Segurança Pública, José Carlos Barbosa (PSB), que retorna para a Assembleia Legislativa. Azambuja tem negado, por sua vez, que o deputado Coronel Davi (PSC) seja o substituto por ele indicado ao cargo.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions