A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

11/01/2013 18:22

Com 11 dias de governo, prefeitos têm dificuldade de pagar salários

Fabiano Arruda, Nicholas Vasconcelos e Gabriel Neris
Prefeito de Bataguassu, Pedro Caravina, diz que dívida é de R$ 8 milhões. (Foto: Divulgação)Prefeito de Bataguassu, Pedro Caravina, diz que dívida é de R$ 8 milhões. (Foto: Divulgação)

Pelo menos nove dos 79 prefeitos em Mato Grosso do Sul passaram os 11 primeiros dias de governo quebrando a cabeça para colocar em dia salários atrasados, herança de seus antecessores.

Em Costa Rica, o prefeito Waldeli Rosa (PR) revela que a dívida com fornecedores e a folha dos servidores municipais, referente a dezembro, somam aproximadamente R$ 3 milhões. “Obras iniciadas representam R$ 1,5 milhão e dívida consolidada mais R$ 3 milhões, ou seja, aproximadamente R$ 7,5 milhões”, listou, acrescentando que serão necessários ao menos seis meses para colocar as contas no azul.

O prefeito de Bataguassu, Pedro Caravina (PSDB), afirmou que encontrou rombo de R$ 1,3 milhão, referente a folha de pagamento de dezembro, que não foi paga. Uma das soluções, segundo ele, seria parcelar os vencimentos atrasados dos servidores. Janeiro será pago em dia, garantiu.

Falta de veículos e dívida com a previdência são outras empecilhos listados pelo tucano. Segundo ele, a Prefeitura tem R$ 8 milhões no vermelho, num orçamento anual de R$ 50 milhões.

Em Nioaque, o chefe do Executivo Municipal, Gerson Garcia (PSB), também reclamou da situação financeira encontrada. “Tudo irregular. Dívida com posto de gasolina, na parte da Saúde; retiraram informações dos computadores. Vamos levar tudo para o Ministério Público Estadual”.

Segundo ele, a folha dos funcionários públicos municipais, que gira em torno de R$ 800 mil, referente a dezembro, está atrasada. Ao todo, as dívidas passam de R$ 1 milhão. Garcia ainda estima que para colocar a “casa em ordem” serão necessários até quatro meses. “Estamos estudando regularizar (os salários) pelo menos em parte”.

Já em Coxim, o prefeito Aluizio São José (PSB) calcula, após análise superficial, ter herdado mais de R$ 13 milhões em dívidas, sendo que, apenas a folha do mês passado, é de R$ 2,3 milhões.

Ainda na região Norte, em Rio Verde, o prefeito Mario Kruger (PT) estima que a soma negativa nos cofres da administração municipal represente R$ 6 milhões.

Em Aquidauana, o prefeito José Henrique Trindade (PDT) diz que a situação está difícil no município. A folha salarial do mês de dezembro não foi paga. O chefe do Executivo busca R$ 1,7 milhão para 1.400 servidores. "Estamos sem dinheiro, quebrados".

O Campo Grande News apurou que as prefeituras de Rio Negro, Pedro Gomes e Sidrolândia também estariam em dificuldades financeiras. A Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul) informou não ter o levantamento da situação financeira das administrações municipais no Estado e que não faz este tipo de estudo.

Presidente Michel Temer deve ter alta na manhã desta sexta-feira
O presidente Michel Temer deverá ter alta hospitalar na manhã desta sexta-feira (15), informou o médico Roberto Kalil Filho, que coordena os cuidados...
Interrogatório de Lula na Operação Zelotes é marcado para fevereiro de 2018
A Justiça Federal em Brasília marcou para o dia 20 de fevereiro de 2018 os interrogatórios do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de seu filho ...
Senado aprova desconto de dívidas de produtores rurais e texto segue para sanção
O Senado concluiu a votação, nesta quinta-feira (14), do projeto que permite a renegociação das dívidas de produtores rurais, estabelecendo descontos...


Enquanto houver pessoas iguais a esse ALECSSANDRO FRANCO DE SOUZA, isso vai acontecer diuturnamente. Pense em seus pares e lute com eles. A população tem que deixar de ser paciva, CADEIA neles!!
 
Gustavo Rohtche em 12/01/2013 12:26:49
DEMOROU PRA ACONTECER... AINDA VEM MAIS POR AI
 
ely monteiro em 12/01/2013 06:30:16
Todos sabiam da situação. Mesmo assim, fizeram de tudo pra ganhar. Então, assuma o compromisso de pagar os funcionários e fazer diferente. 5, 6, 10 milhões gastaram em campanhas em compra de votos. Então se virem................
 
professor juari em 11/01/2013 22:06:21
Que choradeira é essa !!!! Tá na chuva é pra se molhar...aguenta a bronca e se vira nos trinta !!!
 
Alecssandro Franco de Souza em 11/01/2013 18:56:41
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions