A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 19 de Setembro de 2018

16/08/2018 13:15

Com 13 candidatos, Câmara tem sessão cheia e projeto sobre relógio

Presidente acredita que campanha não afetará o trabalho legislativo

Kleber Clajus
Compareceram a sessão 27 dos 29 vereadores de Campo Grande (Foto: Kleber Clajus)Compareceram a sessão 27 dos 29 vereadores de Campo Grande (Foto: Kleber Clajus)

No primeiro dia de campanha eleitoral, nesta quinta-feira (16), somente dois vereadores deixaram de participar da sessão na Câmara Municipal de Campo Grande. Eles votaram dois projetos destinados a aprimorar lei estadual e outro que dá nome de médico a relógio.

Lívio Leite (PSDB) e Valdir Gomes (PP) justificaram sua ausência ao cumprir compromissos externos. O presidente da Casa de Leis, João Rocha (PSDB), avaliou que o tempo curto de campanha eleitoral não deve afetar os trabalhos legislativos, mas sua "temperatura". Isso ao considerar que 13 dos 29 vereadores postularam suas candidaturas ao Senado, Câmara de Deputados e Assembleia Legislativa. "Só não pode campanha aqui dentro", disse Rocha.

Por hora, os projetos são aprovados com tranquilidade como o que exige de supermercados, shoppings centers e centros comerciais a disponibilidade de cadeiras de rodas motorizadas com cesto para colocar as compras, assim como aquele que deu o nome do médico Renato Barbosa de Rezende ao relógio no cruzamento da Avenida Afonso Pena com Calógeras.

Odilon de Oliveira (PDT) e Epaminondas Vicente, o Papy (SD), buscam em sua proposição aprimorar lei estadual de 15 anos que cobra de estabelecimentos comerciais disponibilidade de cadeiras de rodas no Estado. Texto foi apresentado como lei complementar a fim de evitar vicíos e ser aplicado com poder de polícia pelo município. Assim, deve existir pelo menos um equipamento para áreas entre 2 e 5 mil metros quadrados e acima disso dois deles.

Quanto ao relógio, William Maksoud (PMN) justificou que a homenagem ao médico Renato Barbosa de Rezende se deve a sua contribuição como presidente do sindicato da categoria, do CRM (Conselho Regional de Medicina) e até liderando uma comissão que reconstruiu a estrutura, anteriormente localizada no cruzamento da 14 de Julho com Afonso Pena.

Tal proposta, de nomear o relógio, foi aprovada em regime de urgência e tem por coautores os vereadores João Rocha (PSDB), Otávio Trad (PTB) e João César Mattogrosso (PSDB).



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions