A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

18/04/2012 17:13

Com seis votos favoráveis e uma ausência, Cícero é reeleito no TCE

Wendell Reis

Cícero ocupará a presidência do TCE em 2013 e 2014

José Ancelmo, Cícero e Ronaldo Chadid foram eleitos por unanimidade entre os presentes(Foto: João Garrigó)José Ancelmo, Cícero e Ronaldo Chadid foram eleitos por unanimidade entre os presentes(Foto: João Garrigó)

O presidente do TCE (Tribunal de Contas do Estado), Cícero de Souza, vai ocupar a presidência da Côrte pela quarta vez. Ele foi eleito na tarde desta quarta-feira (18) por unanimidade entre os presentes. Foram seis votos, e uma ausência, do conselheiro Iram Coelho das Neves. Além de Cícero, foram eleitos José Ancelmo para a vice-presidência e Ronaldo Chadid para a Corregedoria.

Durante a sessão também foram sorteados os espaços nas câmaras. Ficou definido que a 1ª Câmara será ocupada pelos conselheiros Ronaldo Chadid, José Ricardo Pereira e Waldir Neves. Já a 2ª Câmara receberá os conselheiros José Ancelmo, Iran Coelho e Marisa Serrano.

Ao ser reeleito, Cícero disse que não se trata de uma vaidade, para querer usar a máquina para conseguir algum objetivo. Disse que ao assumir pela quarta vez a presidência da Corte sente orgulho, mas sabe da responsabilidade que terá. Cícero agradeceu aos colegas que o elegeram e lembrou que a casa tem que melhorar ainda mais, ressaltando que é preciso um alicerce, que começa lá embaixo.

Cícero declarou que considera a crítica natural quando ela é construtiva, salientando que não se deve aceitar críticas que "destroem a ilusão e o pensamento sobre tudo o que se quer fazer".

Cícero ressaltou os avanços conquistados em sua gestão, admitindo erros, como por exemplo no PCCR (Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração), mas prometeu fazer o possível para corrigir, afirmando que nunca deixou que o salário dos servidores ficasse desvalorizado.

Ao falar sobre a valorização, o conselheiro explicou que existe um limite prudencial e que o duodécimo deve ser levado em conta. Cícero declarou que no Governo do “prezado” Zeca do PT, o percentual de dado ao TCE era de 2,35 e este índice atualmente está em 2,0. Ao encerrar as palavras, Cícero voltou a agradecer a confiança dos colegas, destacando que não ele, mas o TCE precisará da ajuda de todos.

O conselheiro José Ancelmo aproveitou seu discurso para prestar um esclarecimento. Ele disse que muitos poderiam questionar o porquê de não ser candidato, mas explicou que se aposenta no dia 1º de fevereiro de 2014, o que prejudicaria sua eleição, tendo que escolher um novo presidente. Ele lembrou de casos como o de Santa Catarina, onde o presidente do TCE está no comando por mais de quatro vez.

José Ancelmo disse que Cícero tem o reconhecimento de todos e que é possível verificar o quanto o TCE passa por um momento de tranqüilidade.

Ao encerrar as palavras ele ressaltou que o governador André Puccinelli (PMDB) e o prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) ficarão no cargo por oito anos e se disse satisfeito em poder ocupar o posto de vice, onde nunca esteve. Segundo o presidente, não há problema nenhum no fato de ocupar a vice-presidência, visto que Cícero também foi seu vice. José Ancelmo lembrou que em 2014 ele e Cícero deixarão o TCE, finalizando os remanescentes do século passado.

O conselheiro Ronaldo Chadid falou da satisfação em ser eleito para a Corregedoria e afirmou que em nenhum momento houve movimentação contrária a recondução de Cícero que, segundo ele, foi eleito por livre e espontânea vontade, por conta de seu trabalho, capacidade e equilíbrio como presidente.

“Acho que a responsabilidade aumenta cada vez mais. Você tem que cumprir e fazer cumprir a evolução de tudo isso. As vezes o governador do Estado diz que eu sou o Ulisses Guimarães, que foi presidente do PMDB quatro vezes e completou oito anos. O governador André também está com seis anos, mas vai fazer oito. Não importa quantas vezes foi eleito, mas o tempo que ai está. Acho que estou indo bem e tive convite dos nobres pares para que pudéssemos continuar. Tanto é que fomos eleitos por unanimidade daqueles que estavam presentes e certamente isso muito me orgulha e traz responsabilidade. O tribunal já teve avanços acentuados e queremos avançar cada vez mais”.

A conselheira Marisa Serrano declarou que o momento é histórico por conta da fase que o TCE/MS vem passando, com grandes avanços. Para ela, a reeleição de Cícero marca a continuidade do trabalho de modernização e transparência. A conselheira confidenciou que gostaria que a sociedade tivesse outro olhar para o TCE, mas se disse convencida de que este trabalho deve ser feito por meio de convencimento, em uma mudança progressiva. A conselheira destacou o empenho de Cícero ao estar aberto a mudanças para melhorar o TCE, elogiou a presença de José Ancelmo na vice-presidência, lembrando de sua importância ao garantir a atual sede ao TCE e deu boas vindas a Ronaldo Chadid, alegando que confia que ele trará um novo ritmo para a função.

O conselheiro Waldir Neves lembrou que antigamente tinha-se a impressão de que o TCE era a apêndice do legislativo, mas com o tempo foi possível observar que ele tem a função de auxiliar. Waldir Neves também elogiou a sensibilidade do presidente em aceitar mudanças que a própria sociedade impõe. Ao falar na necessidade de melhorias ele defendeu decisões únicas e a realização de concurso público.

Waldir Neves defendeu a participação da sociedade e uma ampliação do trabalho do TCE, analisando as contas, mas também a qualidade da gestão, dando ao cidadão a certeza do destino de seu dinheiro. O conselheiro José Ricardo destacou a sorte de Cícero ao ter José Ancelmo como vice e pediu que ele não fique na expectativa da ausência de Cícero para assumir, mas que contribua com a sua vivência junto ao Tribunal, compartilhando a responsabilidade sobre o destino do TCE. O conselheiro declarou que o TCE tem muito a avançar e não apenas no campo material, mas em um acompanhamento melhor da fiscalização.

Reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, diz Meirelles
A reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, de acordo com o ministro da Fazenda Henrique Meirelles. A declaração foi dada na noite de...
Quanto mais reforma demorar, mais dura será correção, diz ministro
Caso o governo não consiga aprovar a reforma da Previdência ainda este ano, conseguirá em 2018, disse hoje (11) o ministro do Planejamento, Dyogo Oli...


Cicero parabéns pela sua reeleição continue assim nesse seu quarto mandato e que deus elumine mais uma vez esse seu quarto mandato.Boa sorte presidente.
 
André Marcelo em 19/04/2012 04:39:58
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions