A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

20/06/2011 08:37

Combate ao crack é tema de audiência pública hoje na Assembleia

Aline dos Santos

A Assembleia Legislativa realiza nesta segunda-feira a audiência pública “Enfrentamento e Combate ao Crack”.

A programação de palestras conta com o juiz federal Odilon de Oliveira; o promotor de justiça Sérgio Eduardo Harfouche e o deputador federal Luiz Henrique Mandetta (DEM), membro da comissão Especial de Políticas Públicas de Combate às Drogas da Câmara Federal.

A proposta da audiência partiu do deputado Eduardo Rocha (PMDB). O evento é fruto de projeto de lei aprovado em maio que institui a Semana de Enfretamento e Combate ao Crack, que ocorre, a partir deste ano, em toda terceira semana de junho.

Marun ainda quer votar relatório da JBS antes de posse no ministério
Na véspera de ser empossado como ministro da Secretaria de Governo, o deputado Carlos Marun (PMDB-MS), relator da Comissão Parlamentar Mista de Inqué...
Senado aprova R$ 1,9 bi a estados para compensar desoneração de exportações
Após suspender a sessão do Congresso Nacional, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), retomou os trabalhos do plenário da Casa com o obj...
Temer discutirá data de votação da reforma da Previdência nesta quinta
O anúncio do líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), de que a votação da proposta de reforma da Previdência ficará para fevereiro causou r...


No submundo das drogas, as coisa se desenrolam em uma velocidade quase que incalculável. Os traficantes possuem uma estrategia de inovar, colocando no mercado novos tipos de drogas e as vezes, até a mesma droga, porém com uma nova "embalagem".Ssim sendo gostariamuito que nosso Juíz Odilon versasse sobre a METANFETAMINA(MT) que já está em uso amplo no Brasil e no Mundo. O uso crônico de MT também pode levar ao desenvolvimento de comportamento violento, caracterizado por ser bem mais intenso do que aquele observado com o uso do crack, em resposta aos delírios paranóides, expondo o usuário a situações de risco de vida. Nesses casos, é nítida a alteração da personalidade com irritabilidade e desconfiança de tudo e de todos. Com uso mais freqüente e prolongado, desenvolve-se a tolerância à sua ação euforizante; no entanto, o aumento crescente das doses produz um crescimento progressivo em seus efeitos comportamentais, como atividade locomotora, e também um aumento da ansiedade e da paranóia. Esse fenômeno é chamado de sensibilização e pode persistir por muito tempo, mesmo após a interrupção da droga.


 
Coronel Ivan de Almeida em 20/06/2011 10:37:35
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions