ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUINTA  29    CAMPO GRANDE 34º

Política

CPI da Saúde pode encerrar apuração do Gisa por falta de tempo

Leonardo Rocha | 19/11/2013 13:31
CPI poderia convocar novos depoimentos, mas prazo para encerrar trabalho termina dia 23 (Foto: Divulgação)
CPI poderia convocar novos depoimentos, mas prazo para encerrar trabalho termina dia 23 (Foto: Divulgação)

A CPI da Saúde da Assembleia pode encerrar a apuração que está sendo feita em relação ao Gisa (Gerenciamento de Informações em Saúde), por falta de tempo, já que o prazo final da comissão termina no dia 23 de novembro.

“Até gostaríamos de chamar novas pessoas para prestar depoimento, mas temos que apresentar o relatório final, vamos fazer uma última avaliação, no entanto não vejo tempo hábil”, destacou o presidente da CPI, o deputado estadual Amarildo Cruz (PT).

Amarildo garantiu que o relatório final já está fechado, restando apenas fazer a apuração sobre a documentação que falta. O vice-presidente da comissão, o deputado Lauro Davi (PSB), foi mais enfático em dizer que os deputados já possuem elementos suficientes para terminar o trabalho.

“Temos muitos pontos importantes a apresentar neste relatório, o Gisa talvez foi o ato mais explícito desta investigação, aquela situação que ficou mais escandalosa”, destacou ele.

O relator da CPI, o deputado Junior Mochi (PMDB), também reconheceu que o Gisa foi um dos assuntos mais polêmicos, porém destacou que existem outros elementos importantes a serem divulgados. “Vou terminar o relatório que terá muitas contribuições a sociedade”.

O sistema Gisa que seria responsável pelo agendamento de consultas por telefone foi contratado pela prefeitura de Campo Grande em 2008 por quase R$ 10 milhões, no entanto hoje apenas quatro dos doze módulos estão funcionando.

O Ministério da Saúde enviou uma equipe para averiguar o caso em Campo Grande, pelo fato de 90% do recurso ter sido investido pela instituição. A atual administração já declarou que cogita pedir a devolução do recurso empregado em função do sistema não funcionar de forma adequada.

Nos siga no Google Notícias